Odair se diz motivado para quebrar tabu no Inter e repetir “feito” de Abel Braga

Após um início de temporada turbulento, com direito a quedas precoces no Gauchão e na Copa do Brasil, o Inter de Odair Hellmann vai enchendo o seu torcedor de otimismo a partir da arrancada no Brasileirão – até a parada para a Copa do Mundo, o colorado encaixou oito jogos sem perder e pulou para o 4° lugar, com 22 pontos.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Twitter Inter

O bom momento, claro, motiva Odair. E o faz mirar no horizonte a possibilidade da quebra de um tabu entre os treinadores recentes do clube. Desde Abel Braga, em 2014, um técnico não inicia e termina a temporada no cargo. De lá para cá, Aguirre, Argel Fucks e Antônio Carlos Zago, respectivamente, não se sustentaram até o fim do ano.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

“Acho que tabu é feito para ser quebrado. Quebramos um agora esse ano. O Inter não vencia no Barradão há 15 anos. Tabu é para ser quebrado. Certamente se estiver no final do ano é porque o trabalho foi bem feito ou porque teve resultado. Farei de tudo para estar. Não posso pensar em outra coisa. Tenho que pensar positivamente, eu acredito. Penso que faremos uma volta tão boa quanto a primeira parte para fechar na parte de cima da tabela. E que eu possa fechar o ciclo de um ano comandando o Inter”, comentou Odair em entrevista ao portal Globoesporte.com.

Na mesma entrevista, o treinador se considerou “privilegiado” por estar comandando o elenco principal do Inter depois de ter trabalhado como auxiliar.

“Sou um privilegiado por estar treinador do Inter, tenho muita honra de ter recebido essa oportunidade. É como disse no início do ano. Trabalharei muito, muito, muito para que as coisas saiam bem e consiga muitas vitórias para retribuir isso”, disse.

O Inter, de Odair, volta a campo oficialmente na próxima quinta-feira, 21h, contra o Atlético-PR, fora de casa, pelo Brasileirão.

Últimos técnicos do Inter:

2014 – Abel Braga

2015 – Aguirre e Argel

2016 – Argel, Falcão, Celso Roth e Lisca

2017 – Antônio Carlos Zago, Guto Ferreira e Odair Hellmann

2018 – Odair Hellmann