Sete equipes que decretaram falência no futebol

A falência de um clube por dividas é muito comum no futebol europeu e até há casos na América do Sul. Mas no futebol brasileiro, apesar de acontecer com as equipes menores, não é tão normal quanto em outros países.

Otávio Silva
Colaborador do Torcedores.com que ama o futebol gaúcho.

Crédito: Reprodução/Pexels

Um dos exemplos mais claros é o do Parma e do Rangers, que foram rebaixados para as últimas divisões profissionais dos seus campeonatos e tiveram que começar tudo do zero. Em relação ao futebol sul-americano, um dos maiores exemplos é o Racing, que abriu falência e foi salvo por seus torcedores – mas, ainda assim, não conseguiu livrar-se da Primeira B Nacional.

No Brasil, o tradicional União São João de Araras, que revelou o lateral Roberto Carlos, não dá sinais de que irá voltar ao profissionalismo tão cedo, visto que pediu licença do futebol profissional. Gestões ineficientes, gastos excessivos e diversos outros fatores levam alguns clubes no Brasil a fecharem as portas e ainda correrem o risco de serem extintos. O tradicional Ipatinga já foi rebaixado para a última divisão do Campeonato Mineiro e esteve bem próximo de pedir licença do futebol, mas conseguiu se salvar de tempos mais nublados. Algumas equipes não tiveram a mesma sorte e foram refundadas ou extintas.

Confira a seguir lista que o Torcedores preparou:

1 – Grêmio Barueri

O clube conseguiu um feito impressionante no futebol paulista, algo que outros clubes posteriormente experimentara e que tiveram um final semelhante ao Barueri. A equipe saiu da última divisão do Paulistão e chegou a primeira divisão nacional, inclusive disputando a sul-americana.

Mas do mesmo jeito que subiu, a equipe também caiu. Tentou sair de Barueri, ir para Prudente, mas acabou não dando certo e voltou para a cidade de Barueri. Acumulou rebaixamentos seguidos e o último ocorreu em 2017, quando foi rebaixado para a última divisão do campeonato paulista sem ganhar nenhuma partida. A equipe não disputou a quarta divisão desse ano e não dá sinais de que irá se recuperar tão cedo.

2 – Guaratinguetá

A equipe é um caso parecido com o Grêmio Barueri. Não chegou à primeira divisão, mas na Série B, em uma grande campanha, quase conquistou o acesso para a primeira divisão. Mas o que parecia um projeto de qualidade, tornou-se um pesadelo para os torcedores do clube.

A mudança para a cidade de Americana foi um dos principais erros da equipe, que acabou com uma perda relativa da popularidade do clube na cidade de Guaratinguetá. O time, que já contou com Dodô no ataque, teve seu final no ano de 2017, sendo rebaixado para a última divisão do Paulistão, sem forças para disputar a quarta divisão. Assim como o Barueri, a equipe não demostra que irá voltar tão cedo.

3 – J. Malucelli

A equipe ficou conhecida por ter sido punida pela escalação irregular de um jogador. O atleta Getterson estava irregular e o clube acabou penalizado com a perda de 16 pontos no Paranaense. De possível classificado, o time terminou rebaixado para a segunda divisão do estado. Depois disso o clube admitiu não ter forças para disputar a Série B do paranaense e acabou se retirando do futebol profissional.

4 – Modena

O clube italiano é um dos poucos exemplos de times que não foram refundados, mas sim extintos do futebol italiano. Depois de enfrentar graves problemas financeiros, a equipe resolveu dar um ponto final na sua história.

Depois de um inicio ruim na terceira divisão e de derrotas seguidas, o time acabou sendo excluído da competição e seus jogos foram cancelados, principalmente por seus problemas financeiros. Os torcedores ainda esperam que ele seja refundado ou salvo por algum empresário, mas no momento o clube encontra-se retirado do futebol.

5 – Bari

O clube soube aproveitar a última temporada e garantiu a oitava posição na segunda divisão da Itália. Contudo, mais uma vez os problemas fiscais levaram a equipe a ser refundada.

Agora, o time terá que recomeçar tudo na Série D italiana até chegar à segunda divisão, algo parecido com que ocorreu com o Parma anos atrás.

6 – Reggiana

Claudio Taffarel, campeão mundial com a seleção brasileira, atuou pelo clube, assim como outros grandes atletas que também vestiram a camisa da La Regia. No entanto, a situação do time não está nada boa.

Para a temporada de 2018/19, a equipe não se inscreveu na terceira divisão e foi excluída de competições oficiais do futebol italiano. Para piorar ainda mais, entrou em liquidação voluntária e caminha a passos largos para ser extinta.

7 – Metalist Kharkiv

O clube era conhecido por formar uma legião de brasileiros no seu elenco. Tanto que os jogadores Taison, Diego Souza, Edmar, Marlos, Márcio Azevedo e Rodrigo Moledo jogaram pela equipe da Ucrânia.

Em 2016, porém, devido a algumas crises no clube, a equipe decidiu se dissolver. No mesmo ano foi fundado o FC Metalist 1925, jogando inicialmente na terceira divisão e atualmente na segunda divisão do país.

LEIA MAIS:
DEZ EX-ATLETAS QUE PODERÃO SER CANDIDATOS NAS ELEIÇÕES DE 2018