Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Exercício de força é tão vital quanto aeróbica segundo nova pesquisa

Os exercícios de força podem adicionar anos de vida de acordo com um estudo levado a cabo pela Universidade de Sydney, com uma amostra de mais de 80 mil adultos.

Fabiano de Abreu
Colaborador do Torcedores

Esse foi o maior estudo já feito para comparar a mortalidade de diferentes tipos de exercícios. Chegaram à conclusão que as pessoas que fazem exercícios de força tiveram uma redução em 23% de risco de morte precoce, e uma redução em 31% de morte relacionada ao câncer.

O professor Emmanuel Stamatakis, autor principal do estudo, da Escola de Saúde Pública e Centro Charles Perkins, afirmou que o treinamento de força recebeu pouca atenção no que toca aos seus benefícios funcionais à medida que envelhecemos, e poucas formas as pesquisas que analisarem o seu impacto real na mortalidade.

Segundo ele, este estudo mostra que o exercício de força pode ser tão importante como as atividades aeróbicas para a nossa saúde.

A Organização Mundial da Saúde recomenda em suas Diretrizes de Atividades Físicas 150 minutos de atividade aeróbica para adultos, mais dois dias de treinos de fortalecimento muscular semanalmente.

Governos e Autoridades de Saúde Pública negligenciam Treinos de Força

De acordo com as declarações do professor associado Stamatakis, os governos e as autoridades de saúde pública têm negligenciado a promoção de diretrizes para treinamentos de força. Além disso, eles têm falsificado a realidade mundial quanto à inatividade.

Para tal, ele cita o exemplo do National National Nutrition and Activity Activity Survey, no qual informa que 53% das pessoas é inativa.

Segundo declarações do professor, menos de 19% dos adultos australianos cumprem a quantidade de exercícios de força recomendada.

De acordo com o novo estudo levado a cabo, é necessário repensar e expandir os tipos de exercícios que se incentiva para a saúde e bem-estar no longo prazo.

O estudo também demonstrou que exercícios usando o peso corporal são tão eficazes como os treinos de força com equipamento específico.

Flexões, abdominais, agachamentos são alguns dos exercícios que qualquer pessoa pode fazer em sua própria casa, e tem os mesmos benefícios que aqueles realizados na academia.

Dados do estudo publicado no American Journal of Epidemiology

A pesquisa teve como base uma amostra de mais de 80 mil adultos, todos extraídos do Health Survey for England e Scottish Health Survey, vinculados ao NHS Central Mortality Register.

Este estudo teve ajustes para reduzir a influência de outros fatores, como sexo, idade, estado de saúde, nível educacional e comportamentos de estilo de vida.

Foram excluídos todos os participantes com doença cardiovascular ou câncer, e todos os que faleceram nos dois primeiros anos de acompanhamento.

Conclusões:

·       A participação em qualquer exercício de força foi associada a uma redução de 23% da mortalidade prematura e uma redução de 31% na mortalidade por câncer

·       Exercícios de peso corporal poderão ser realizados em qualquer configuração sem uso de equipamentos, os quais produziram resultados comparáveis às atividades feitas em academia

·       A adesão às diretrizes da OMS quanto aos exercícios de força, isoladamente, foi associada a redução de risco de morte por câncer

·       A adesão às diretrizes da OMS quanto à atividade física aeróbica, isolada, não promove essa redução

·       Quando combinamos ambas as diretrizes da OMS, existe uma maior redução do risco de mortalidade

·       Não se assistiu a uma evidência entre o exercício promocional e a mortalidade por doenças cardiovasculares.

Fontes: sciencedaily & 121doc Brasil