Três motivos para acompanhar Nacional-PAR x Botafogo; confira

O Botafogo enfrenta na noite da próxima quarta-feira (1) o Nacional-PAR no Estádio Defensores del Chaco, em Assunção, pela Copa Sul-Americana. E o Torcedores listou ao menos três motivos para assistir a partida.

Lucas Meireles
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Foto: Reprodução/Facebook Oficial do Botafogo de Futebol e Regatas)

A partida não é um clássico do futebol sul-americano. O Nacional nem mesmo é o seu xará famoso, o do Uruguai, tricampeão da Libertadores e tricampeão mundial. Mas a partida entre Nacional e Botafogo pode ser interessante.

Ambas as equipes não vem bem desde o retorno após a pausa para a Copa do Mundo. A competição continental pode ser um catalisador para alavancar a temporada. Além disso, os dois times demonstrado dificuldades defensivas, o que pode fazer com que haja muitos gols.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

A partida também será em um palco conhecido do Alvinegro. Em 2017, o Botafogo eliminou, nos pênaltis, o Olimpia em noite inspirada de Gatito Fernandez. Se classificando para a fase de grupos da Copa Libertadores da América. Relembre a decisão por pênaltis partida abaixo:

O Torcedores enumerou três razões para acompanhar o confronto.

Chance para Marcos Paquetá

O início de trabalho de Marcos Paquetá à frente do Botafogo tem sido difícil. São três derrota e uma vitória em quatro jogos disputados. Apenas 25% de aproveitamento e um único gol marcado, por Marcinho na vitória diante da Chapecoense. O treinador já começa a ser contestado em General Severiano.

A Copa Sul-Americana pode ser uma boa oportunidade para o treinador, que está há apenas um mês no cargo, fazer experiências no time titular. A tendência é que Paquetá faça alterações em relação à equipe derrotada por 3 a 0 pelo Internacional no último domingo. O clube da Estrela Solitária vai contar com o retorno de jogadores importantes como o volante Lindoso e os atacantes Pimpão e Kieza.

Porém, uma nova derrota, ainda que fora de casa, pode complicar ainda mais a vida do técnico botafoguense.

Nacional também não vive boa fase

Quatro anos depois de surpreender a América chegando à final da Libertadores, o “El Tricolor” ainda não venceu desde o retorno após a Copa. Foram dois empates, o último com gol sofrido no último minuto diante do General Díaz, e uma derrota. O time do técnico Celso Ayala é apenas o 10º colocado de 12 times no Torneio Clausura do país.

O clube porteño também perdeu jogadores importantes recentemente. O atacante uruguaio Juan Manuel Salguero, ex-Botafogo, acertou com o Libertad. O meio-campista Edgardo Orzusa se transferiu para a Chapecoense. E o zagueiro Teodoro Paredes foi emprestado ao Newells Old Boys, da Argentina.

Contudo, o time ainda tem alguns destaques. O goleiro Santiago Rojas, os meio-campistas Miguel Paniagua e Derlis Orué e o atacante Adan Bareiro tem sido muito elogiados pela imprensa paraguaia.

Olho nele! O volante Derlis Orué, de 29 anos, já atuou pelos maiores clubes do Paraguai, Libertad e Olimpia. (Foto: Reprodução/Facebook Oficial do Club Nacional do Paraguai)

Outra competição, outra história

Uma competição diferente pode mudar os ânimos de um elenco. Ao longo da história. a Copa Sul-Americana tem um histórico de clubes brasileiros que fazem boas campanhas independente da má fase vivida no Campeonato Brasileiro.

Em 2009, antes da arrancada do Time de Guerreiros, que livrou o clube do rebaixamento, o Fluminense era o lanterna do Brasileirão. Mesmo assim, o Tricolor conseguiu avançar na competição continental. Durante a sequência de vitórias, o técnico Cuca chegou a usar o torneio para dar mais entrosamento ao jovem time titular.

Em 2011, foi a vez do Goiás de Rafael Moura. O Esmeraldino foi rebaixado no Campeonato Nacional e, ainda sim, conseguiu chegar a final da Copa Sul-Americana. Sendo derrotado, nos pênaltis, pelo Independiente.

História semelhante a vivida pela Ponte Preta em 2013. A Macaca também não conseguiu evitar o descenso para Série B, mas por pouco não foi campeã continental. Curiosamente, o clube de Campinas perdeu para outro argentino, o Lanús.

A favor do Botafogo, está a memória da última competição sul-americana que disputou. A Libertadores do ano passado, ainda sob o comando de Jair Ventura. O Alvinegro ficou conhecido como “Exterminador de campeões” e só caiu diante do Grêmio nas quartas-de-final.