Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Márcio Goiano lamenta erros individuais em eliminação do Náutico na Série C

O sonho do acesso acabou para o Náutico. Derrotado no interior de São Paulo no confronto de ida por 3 a 1, o Timba não conseguiu devolver o revés e acabou ficando no empate por 1 a 1 com o Bragantino, neste domingo (26), na Arena de Pernambuco. Na visão do técnico alvirrubro Márcio Goiano, dois erros foram cruciais para a derrocada da equipe.

Cido Vieira
Jornalista formado e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com desde o ano de 2017, já acumulei diversas funções no site e atualmente me dedico a cobertura do futebol nordestino. No Twitter, @cidovieira90.

Crédito: Léo Lemos - Divulgação - Náutico

Na entrevista coletiva pós-jogo, o comandante do Timbu preferiu não massacrar o prata da casa Luiz Henrique, responsável pelos dois equívocos em saídas de bola, tanto no Abi Chedid, quanto na Arena, mas citou os erros acabaram sendo determinantes para os gols da equipe paulista.

“Tivemos dois erros cruciais contra o Bragantino. Erros individuais que originaram os gols do adversário na saída de bola e hoje ao invés de mandar a jogada para a lateral ou recuar para o Bruno. Nós tínhamos trabalhado desde o primeiro jogo que não poderíamos erra para trazer a decisão para o Recife e nos erros nossos o Bragantino acabou fazendo a diferença”, destacou o treinador, que porém evitou crucificar Luiz Henrique.

“O Luiz foi um garoto que me impressionou muito no primeiro treinamento e tem crédito comigo. Da mesma forma que houveram erros, também ocorreram coisas boas”, pontuou.

Quando questionado sobre uma provável renovação, Márcio Goiano afirmou que deve ter uma conversa com a diretoria alvirrubra nos próximos dias. O próprio treinador já mostrou o interesse de continuar no clube em 2019. O comandante assumiu o Timba na lanterna do Grupo A e numa arrancada conquistou a classificação em primeiro lugar da chave, com 75% de aproveitamento.

“Essa diretoria buscou dar todas as condições de trabalho mesmo na dificuldade. Em três meses de trabalho, conseguimos formar uma família. Vamos conversar, porém o mais importante agora é ter equilíbrio. Tenho uma conversa boa com a diretoria e nessa semana devemos conversar”, finalizou.

LEIA MAIS: