Torcedores – Notícias Esportivas

Número de ex-jogadores e técnicos em programas esportivos cresce cada vez mais

Dos gramados aos estúdios. Os canais esportivos brasileiros estão cada vez mais interessados em recrutar ex-jogadores e treinadores para suas redações. Nos últimos anos, apresentaram “novos” nomes para a mídia esportiva do país em uma frequência ainda maior.

Christian Fuentes
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/SporTV

As emissoras e os programas esportivos brasileiros estão investindo pesado para reforçar seus times de cobertura jornalística. Ex-jogadores e técnicos que encontram-se sem contrato com clubes são os preferidos para exercer funções de comentaristas, repórteres e até mesmo apresentadores.

A prática não é recente no jornalismo esportivo nacional. Nomes como o de Maestro Júnior, parceiro de longa data do narrador Luis Roberto e Walter Casagrande, e ex-craques da seleção brasileira, por exemplo, já fazem parte da mídia do país há mais de 20 anos.

Entretanto, nos últimos oito anos o número de ex-jogadores que trocaram os gramados pelos estúdios de gravação cresceu significativamente no país. São nos meses que antecedem a Copa do Mundo que as emissoras e os canais de esporte vão ao “mercado” em busca de nomes de peso para fazer parte da cobertura do maior evento de futebol do mundo.

Foi assim com Edmundo e Juninho Pernambucano, que estrearam como comentaristas de jogos na televisão. Enquanto o “Animal” foi a contratação de peso da Band para a cobertura do Mundial da África do Sul, em fevereiro de 2010, o “Reizinho”  foi anunciado pela Globo em março de 2014, há menos de três meses para o início da Copa no Brasil.

Recentemente, três ex-jogadores participaram da cobertura do Mundial da Rússia: os ex-meias Ricardinho e Djan Petkovic – que também foi técnico – estrearam em abril e maio, respectivamente, assim como o ex-atacante Grafite, todos pelo canal por assinatura SporTV. Os dois primeiros já acertaram suas permanências após a Copa, mas Grafite ainda negocia com o canal sua permanência definitiva, já que seu contrato tinha duração de apenas um mês e encerrou no dia 15 de julho, data que marcou o fim do Mundial.

Além dos jogadores, os técnicos também são desejos de consumo dos programas esportivos. Nomes famosos fazem parte dos mais variados canais de diferentes emissoras. O ex-técnico Muricy Ramalho, pentacampeão brasileiro como treinador, trocou de profissão em novembro de 2016, quando virou comentarista da Rede Globo. Já Zinho, ex-jogador do Flamengo e da seleção brasileira, virou comentarista do Fox Sports após encerrar sua carreira, em 2005. Em julho de 2012, aceitou um convite para ser diretor executivo do clube da Gávea, mas retornou aos programas da antiga emissora em março de 2017. Rogério Lourenço (CNT e Band) e Emerson Leão (Esporte Interativo) também são outros exemplos de técnicos que viraram comentaristas em programas de esporte da televisão brasileira nos últimos anos.

LEIA MAIS:
E AGORA, VAR? MUSEU DO FUTEBOL PROMOVE DEBATE SOBRE USO DO ÁRBITRO DE VÍDEO