Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

No Morumbi, brilham as estrelas de Aguirre e Tréllez no empate do São Paulo – confira análise

Caro torcedor Tricolor, São Paulo e Fluminense protagonizaram mais um empate no campeonato brasileiro, assim como no primeiro turno, numa partida que vai ficar marcada por três lances capitais que deram todo um enredo dramático para os donos da casa no clássico dos tricolores: a expulsão de Diego Souza, o gol contra de Anderson Martins e Tréllez.

Wesley Alencar
Jornalista."Foi difícil chegar onde cheguei, mas ainda não cheguei a lugar nenhum" - Lucas Silva, Flamengo

Crédito: Foto por Rubens Chiri / saopaulofc.net

As melhores notícias de esportes, direto para você

 

Foto por Rubens Chiri / saopaulofc.net

O São Paulo não fez um bom jogo no primeiro tempo devido a baixa produção dos seus homens de frente e pelo meio-campo do Flu ter envolvido Hudson e Liziero no maior período da etapa. Quando o Tricolor começou a equilibrar as ações, veio o primeiro evento que deu cara ao jogo: a expulsão de Diego Souza. Se esperava muito do camisa 9 para essa partida (muito por causa da lei do ex), contudo, Diego não teve um bom desempenho enquanto esteve em campo e num lance que foi extremamente exagerado tanto pelo jogador do Fluminense, quanto pelo árbitro, foi expulso direto (e deu margem para isso), mas acho que seria mais prudente a punição com cartão amarelo.

Com um meio-campo muito técnico, o Fluminense passou a rodar a bola atrás de espaços que o São Paulo certamente daria quando fosse ao ataque, mas o time carioca nem precisou disso, quando num lançamento despretensioso de Sornoza, Anderson Martins desviou de cabeça e Sidão, mal posicionado, viu a bola morrer no fundo de seu gol.

Foto por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Até então, no Brasileirão, o São Paulo não tinha saído atrás no marcador com um homem a menos, e a resposta de jogadores e do técnico foi a melhor possível: superação. Aguirre sacou Edimar e alçou Régis (na função de ponta) e o São Paulo cresceu de produção na partida. Com 2 jogadores mais agudos pelas beiradas (Rojas e Régis), o São Paulo passou a usar dos lados do campo para criar suas jogadas ou de conseguir uma bola parada e, incentivado pela torcida, o São Paulo começou uma blitz contra o Fluminense, que não conseguiu usufruir da superioridade numérica para impedir.

Após rebatida de Anderson Martins de cabeça, Régis aplicou um lindo chapéu no marcador, não desistiu da jogada, foi à linha de fundo e cruzou na medida para Tréllez vir de trás e cabecear inapelável para Júlio Cesar, ensandecendo as mais de 49 mil pessoas no Morumbi, 1×1. E logo Tréllez, autor do gol que deu a liderança ao São Paulo contra o Vasco e que nessa semana recusou proposta de clube espanhol para permanecer, foi ao Morumbi e viu sua estrela brilhar mais uma vez… Ah, esse tal de futebol.

Foto por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Há quem pense que, devido ao fato de ter sido empurrado pela torcida, o São Paulo deveria ter aproveitado e seguido rumo ao segundo gol, mas o próprio decorrer de jogo mostrou que as melhores chances finais foram ofertadas e desperdiçadas pelo Fluminense e, talvez o mais importante ponto, o São Paulo continuou com a inferioridade numérica. Melhor um ponto somado na mão que três perdidos voando, não é mesmo?

Foto por Rubens Chiri / saopaulofc.net

Foram muito sentidas as ausências de Everton e Nene, quanto à criatividade e produção ofensiva na partida de hoje, mas, esperto como é Aguirre, já pode ter visto substitutos para as ausências da próxima partida, quando o Tricolor vai até o Independência, encarar o Atlético Mineiro.