Brasileiro André Gaspar ganha destaque na K-League treinando o Daegu FC

O ex-técnico do Bragantino e hoje no futebol coreano, está à frente da campanha de recuperação do clube nesta temporada. Antes da pausa para a copa do mundo a equipe ocupava a lanterna da K-League e após o mundial subiu para a nona colocação.

Rosana Colodel
Colaboradora do Torcedores.com. Contato: rosanajcolodel@gmail.com

Crédito: Divulgação: Daegu FC

O time coreano segue quebrando tabus e batendo recordes. Com o trabalho de André Gaspar, o Daegu FC aplicou 8 x 0 em uma partida e se classificou para as quartas de final da FA Cup (Copa da Coreia), na K-League, além de deixar a lanterna da competição, quebrou um tabu de nove anos sem vencer o Suwon Bluewings, ao ganhar a partida por 4 a 2.

“A prioridade é de mantermos o Daegu na elite”, diz André Gaspar

“Quebrar tabus e bater recordes são importantes para efeitos de valorização do trabalho. Mas sabemos, que ainda temos um caminho longo pela frente e não podemos nos acomodar de maneira alguma. Tivemos um início irregular na temporada, porém com a pausa da copa, tivemos mais tempo para implantar a nossa ideia de jogo e treinar intensamente todas as variações possíveis. A mudança na postura foi nítida e já está refletindo nos resultados.”, avaliou Gaspar, que mostrou-se confiante para a sequência da temporada. “O foco é o mesmo e, obviamente, a prioridade é de mantermos o Daegu na elite. Sabemos das dificuldades, mas queremos buscar coisas maiores na K-League e estarmos na final da FA Cup.”, conclui o brasileiro.

Primeiro estrangeiro na K-League

André Gaspar é o primeiro estrangeiro a atuar na K-League. O treinador chegou em 2015, atuou como auxiliar técnico. e em 2017 assumiu o comando do clube.

O próximo jogo do Daegu FC é no domingo (16), às 4h (horário de Brasília). A equipe entra em campo, fora de casa, contra o Seoul, em partida válida pela 28ª rodada da competição.

 

Leia Mais: Com retorno importante, Coritiba divulga os relacionados para a partida contra o Londrina

Leia Mais: “Azar de caírem em um grupo dificílimo”, comenta treinador brasileiro da K-League sobre seleção coreana