Iranduba lamenta problemas médicos com atletas e ainda acredita em classificação no Brasileirão

A tarde de ontem, quarta-feira, 12, foi complicada e adversa para o Iranduba. Além de duelar com o Rio Preto, pela ida das quartas de final do Brasileiro Feminino, o clube teve que enfrentar problemas com algumas atletas passando mal horas antes da bola rolar. Mesmo com a derrota por 1×0, o clube segue confiante na classificação à próxima fase.

Bruno Nunes Loreto
Formado em Jornalismo na Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC. Amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Grêmio e Fluminense.

Crédito: Léo Roveroni/Assessiva Comunicação/Divulgação

Depois de 14 horas de viagem para chegar em São José do Rio Preto, seis jogadoras do Iranduba sofreram com desconforto gastrointestinal. Pouco antes da partida no Estádio Anísio Haddad, o departamento médico do clube informou que Djeni, Giovânia, Gabi Moraes, Karen, Juliana e Cris estavam com enjôo, dor de cabeça, cólicas abdominais e diarreia.

Com a situação, o Iranduba recorreu à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A entidade chegou a se reunir para tomar uma decisão, mas não alterou a data do confronto.

“Nós encaminhamos ofício para a CBF, para o departamento de competições, inclusive com os laudos médicos das atletas. Soubemos que eles se reuniram com o departamento médico na CBF, para definir se adiavam ou não o jogo. Essa resposta não chegou até a uma e meia da tarde e precisamos ir ao estádio e quando se vai ao estádio você tem que jogar, não têm jeito”, lamentou o diretor de futebol Lauro Tentardini.

A explicação para o não adiamento do jogo de ontem se deu por conta do próximo compromisso do Rio Preto. No sábado, o Jacaré encara o Santos, pela semifinal do Campeonato Paulista. Com isso, a equipe da casa não teria 66 horas de descanso entre uma partida e outra.

“Além do que, isso também nos complicaria pois virmos de tão longe pra cá e não jogar, e refazer essa viagem na próxima semana nos complicaria mais ainda”, pontuou Tentardini.

Equipe confiante na classificação

Apesar de todos os problemas, o Iranduba realizou uma partida disputada com o Rio Preto. O único gol da partida saiu no final da primeira etapa, com Carol marcando 1×0.

Na avaliação do técnico Adilson Galdino, o Hulk demonstrou uma postura elogiável e tem condições de reverter o resultado jogando em casa.

“Já esperávamos um jogo equilibrado, e infelizmente fomos tomar o gol no final do primeiro tempo. Além disso, é muito difícil jogar em São José do Rio Preto, clima, campo e as baixas que tivemos com várias atletas que passaram mal antes e após o jogo também. Mas a equipe nunca desistiu de buscar o resultado e saímos daqui sabendo que vamos ter que fazer mais por merecer pra que a gente consiga a classificação, temos total condições de reverter o resultado em casa e esperamos muito contar com a força do nosso torcedor pra nos empurrar nessa grande decisão que vai ser em casa e assim passarmos pra a semifinal do campeonato”, disse o comandante.

O jogo da volta será na próxima quarta-feira, 19, na Arena da Amazônia. Com a derrota de ontem, o Iranduba precisa vencer por dois gols para ficar com a vaga no tempo regulamentar. Uma vitória por um gol de diferença levará a decisão para a disputa de penalidades.

“Vamos trabalhar bastante nos próximos dias pra termos um bom desempenho, o grupo está fechado e todas sabem que são capazes de fazer acontecer em nossos domínios”, completou Galdino.

LEIA MAIS:

BRASILEIRO FEMININO: CONFIRA OS RESULTADOS DOS JOGOS DA IDA DAS QUARTAS DE FINAL

RIO PRETO BATE O IRANDUBA E SAI NA FRENTE POR UMA VAGA NA SEMI DO BRASILEIRO FEMININO

CORINTHIANS MARCA NO FIM E VENCE A PONTE PRETA PELO BRASILEIRÃO FEMININO

KINDERMANN BATE O FLAMENGO E SAI EM VANTAGEM NO BRASILEIRO FEMININO