Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Jackson diz estar pronto e admite ansiedade para voltar a jogar pelo Bahia

Peça fundamental da defesa tricolor entre 2016 e o início de 2017, Jackson sofreu uma lesão no primeiro semestre do ano passado que o deixou de fora dos gramados por mais de 12 meses. De volta ao elenco principal do Bahia desde junho, o defensor tem realizado treinamentos intensos desde então, além de ter disputado três jogos com o time de aspirantes.

Victor de Freitas
Baiano, 25 anos, jornalista formado pela Universidade Jorge Amado (UniJorge). Apaixonado por esportes em geral, de preferência basquete, tênis e futebol. Contato: victorw10@outlook.com

Crédito: Felipe Oliveira / EC Bahia

Relacionado para oito jogos do time principal, desde que retornou ao elenco, Jackson ainda não ganhou a oportunidade de jogar uma partida oficial desde então.

Em entrevista ao jornal CORREIO, Jackson admite estar ansioso para poder voltar a ajudar o Bahia dentro de campo. Para isso acontecer, ele aguarda apenas o chamado do treinador.

“Fiz os três jogos do sub-23 sentindo desconforto e algumas limitações. Hoje, não sinto desconforto nenhum. Venho fazendo os treinos sem limitação. Me sinto bem. Suportar um jogo inteiro eu não consigo, pela questão física. É até bom falar dessas coisas, pois o torcedor me pergunta por que ainda não voltei. Muitos acham que ainda tô na fisioterapia. Já estou recuperado, tô treinando como todo mundo e esperando oportunidade”, falou o zagueiro, à repórter Daniela Leone.

“(Voltar a jogar com o time principal) É o que mais quero nesse momento. Já ajudei muito fora de campo. Agora, quero ajudar dentro. É o que eu sinto prazer de fazer. Minha família se sente bem ao me ver dentro de campo e é o que eu mais quero agora. Tô trabalhando, voltando aos pouquinhos, o Enderson tem me levado para o banco e tô me preparando para quando a oportunidade aparecer, poder responder e, se Deus quiser, não sair mais”, contou.

Jackson foi ausência do banco de reservas justamente quando Enderson mais precisou de um zagueiro à disposição. Contra o Santos, o treinador precisou substituir os dois defensores titulares – Tiago e Grolli se lesionaram – mas só tinha Éverson como suplente, terminando o jogo com um volante improvisado na zaga.

“Meu pensamento é que, se eu tô indo para os jogos, é porque eu tenho condição de entrar no jogo. Toda vez que tem a possibilidade de um zagueiro entrar e eu não sou chamado, lógico que isso incomoda, porque a gente quer jogar, quer estar lá dentro, mas respeito a opção do treinador e também respeito meus companheiros que estão entrando. Eu fico frustrado por querer jogar, ninguém quer estar de fora, mas o respeito pelo treinador e pelos companheiros está acima de tudo”, lamentou.

Atualmente, Jackson é tido como a quinta opção do elenco tricolor – que tem Tiago, Lucas Fonseca, Grolli e Éverson como opções principais. Porém, ele afirma ter esperança de ganhar uma chance de defender o Bahia na Série A ainda neste ano.