Moto2: Fenati é demitido após incidente com Manzi em Misano

A equipe Marinelli Snipers anunciou a na manhã desta segunda-feira (10) a demissão do italiano Romano Fenati, que defendia o time na Moto2. Fenatti puxou o freio da moto de Stefano Manzi durante a disputa da etapa de Misano da categoria intermediária do Mundial de Motovelocidade, e foi desclassificado da prova, além de receber uma suspensão de duas corridas.

Leonardo Marson
Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Fenati se irritou com Manzi após o rival tentar ultrapassá-lo, mas perder o controle de sua Suter, colidindo com o competidor da Snipers. Os dois não caíram, mas escaparam para a grama, e Manzi retornou à frente. Quando Fenati se aproximou do concorrente, puxou o freio de mão da moto do rival, que seguiu na prova por mais um giro, antes de cair.

Depois da corrida, a Dorna, empresa promotora do Mundial de Motovelocidade, desclassificou Fenati da prova, e o suspendeu de mais duas corridas, marcadas para Aragón, na Espanha, e Chang, na Tailândia. No final da noite de domingo, a Snipers declarou que o incidente foi “imperdoável” e um “erro grave transmitido para todo o mundo”. Nesta manhã, a demissão do italiano foi confirmada.

“Podemos comunicar que a Equipe Marinelli Snipers rescindirá o contrato com o piloto Romano Fenati a partir de agora por sua conduta antidesportiva, perigosa e prejudicial. Com extremo pesar, temos que notar que seu ato irresponsável colocou em risco a vida de outro piloto, e não pode ser desculpado de forma alguma”, declarou a Snipers nesta manhã.

Antes de Fenati puxar o freio da moto de Manzi, o piloto da Forward acertou o rival da Snipers ao tentar superá-lo. (Foto: Getty Images)

Fenati negociava sua ida para a Forward Racing, atual equipe de Manzi, e que terá apoio da MV Agusta, montadora que retornará ao Mundial de Motovelocidade na próxima temporada. Giovanni Castiglioni, presidente da MV Agusta, porém, declarou em suas mídias sociais que impedirá o italiano de defender o time.

“Esta foi a pior e mais triste coisa que eu já vi em uma corrida de motos. Os verdadeiros esportistas nunca agiriam dessa maneira. Se eu fosse a Dorna (promotora do mundial), eu o baniria das corridas. Quanto ao seu contrato para uma posição futura como piloto da MV Agusta na Moto2, vou me opor em todos os sentidos. Isso não vai acontecer, ele não representa os verdadeiros valores da nossa empresa”, disse Castiglioni.

Vítima da ação de Fenati, Manzi também foi punido pela Dorna pelo incidente inicial, e perderá seis posições no grid de largada na etapa de Aragón, marcada para o dia 23 de setembro no MotorLand, na Espanha.

Foto: