Imprensa analisa classificação do Grêmio na Libertadores: “momento mais forte do time na temporada”

Depois de vencer o Atlético Tucumán por 2 a 0, fora de casa, o Grêmio voltou a triunfar sobre o time argentino pelas quartas de final da Libertadores. Na Arena, o Tricolor gaúcho goleou o adversário por 4 a 0, e avançou às semifinais da competição.

Gabriela Maruyama
Jornalista, assessora de imprensa e pós-graduada em Jornalismo Esportivo e Multimídias. Amante dos esportes desde sempre e apaixonada por futebol inglês. Contato: gamaruyama@gmail.com

Crédito: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação

Veja abaixo como a imprensa analisou a classificação da equipe comandada por Renato Gaúcho!

PVC, durante o Central FOX (FOX Sports):

“É o momento mais forte do Grêmio na temporada. Exemplo disso: é a primeira vez que o Grêmio completa cinco vitórias consecutivas no ano. Teve quatro vitórias em abril, quando venceu o Brasil de Pelotas na primeira final do Gaúcho, o Monagas da Venezuela na fase de grupos da Libertadores, o Brasil de Pelotas de novo na final do Estadual, e o Cruzeiro na primeira rodada do Brasileirão. Antes e depois, não teve sequência de quatro jogos. Desta vez, ganhou do Paraná Clube, do Ceará, do Tucumán lá, do Fluminense e do Tucumán na volta. São cinco vitórias consecutivas.”

Paulo Calçade, durante o Futebol na Veia, da ESPN Brasil:

“Eu não acho que o Grêmio jogue um futebol diferente em relação ao Brasil. Isso não quer dizer que o futebol do Grêmio seja diferente em relação ao mundo. Tem uma proposta boa de jogo, mas a gente joga para sobreviver. Isso cria um futebol todo dentro desse sistema de sobrevivência… A gente está querendo dizer que existe jogo mais legal de assistir, o resultado é alcançado. Mas a gente está movendo o futebol brasileiro para aceitar cada vez menos o diferente, porque nós já fomos muito diferentes, para cada vez mais esse igual que tem aqui na tabela. Então eu acho que esse Grêmio é um pouco diferente.”

Juca Kfouri, em seu blog no UOL:

“Jogo bem disputado, franco e leal. Isto sim deve ser a Libertadores (…) Justa festa, justa vitória, rumo às semifinais, simplesmente espetaculares, para parar a América do Sul. Dom Pedro I, San Martín e Simon Bolívar levantarão de suas tumbas.”