Ex-Palmeiras e Boca relembra briga com Tévez e revela torcida na semi da Libertadores

Boca Juniors e Palmeiras começam a se enfrentar pela semifinal da Copa Libertadores da América na próxima quarta-feira (24), às 21h45 (horário de Brasília), em La Bombonera, Buenos Aires.

Vitor Cavalcanti
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução

O lateral-direito Baiano jogou pelas duas equipes e conversou com o UOL Esporte para relembrar sua passagem pelas equipes. O ex-jogador foi campeão da Série B pelo Palmeiras em 2003 e negociado com o Boca em 2005, mas teve problemas na Argentina e voltou para o time paulista.

“A minha coisa foi com os jogadores argentinos e não com a população da Argentina. Foi um caso envolvendo esta questão do Grafite, e eu tive que pagar para sair do Boca Juniors. Por isso que eu não gosto nem de lembrar disso”, disse Baiano.

O caso Grafite que Baino se refere foi a acusação de racismo do até então jogador do São Paulo e Desábato, zagueiro do Quilmes, da Argentina. O defensor foi detido ainda no gramado do Morumbi por ato racista durante a partida da Libertadores de 2005.

“Eu já vivi muitas coisas quando eu estava lá e prefiro lembrar das coisas boas, como os apelidos de Bombom e Café e o carinho da torcida. Este episódio (Grafite e Desábato) foi um fato que, infelizmente, não teve nada a ver comigo, mas indiretamente acabou me afetando”, afirmou.

Acompanhe as notícias do seu time do coração pelo Facebook

Rixa com Tévez

Os problemas com jogadores argentinos continuou em sua volta ao Brasil. Carlos Tévez estava jogando Corinthians, quando encontrou Baiano, que tinha voltado ao Palmeiras. O lateral-direito foi expulso após uma bolada no argentino.

“O Tévez tinha seus amigos argentinos, então ele me provocou com o que os atletas argentinos fizeram comigo quando eu jogava no Boca. Enquanto o Palmeiras estava ganhando de 1 a 0, estava tudo bem. Depois que o Corinthians virou, o Tévez conseguiu me desestabilizar naquele momento, e eu prefiro não comentar o que ele falou para mim. Quem sabe sou e a minha família. Só nós sabemos o que nós passamos naquele momento lá na Argentina, foi um momento de muita tristeza e então eu prefiro lembrar das coisas boas que o Boca Juniors me proporcionou”, afirmou.

Baiano ainda revelou que vai torcer para o Palmeiras, apesar de estar na galeria de honra do Boca Juniors.

Eu apostaria no Palmeiras. Eu acho que não vai ser fácil, estou torcendo para o Palmeiras e penso que o Palmeiras passa”, falou.

LEIA MAIS

Tévez fala em revanche contra Palmeiras e vê Boca mais forte

Flamengo x Palmeiras: Rubro-Negro divulga nova parcial de ingressos