Federer se posiciona sobre polêmica com gandulas e toalhas; entenda

Uma polêmica toma conta do mundo do tênis. Após a controversa atitude do espanhol Fernando Verdasco com um gandula no ATP 250 de Shenzhen, na China, os atletas passaram a discutir a presença dos garotos em campo e a função deles para o bom andamento da partida. Roger Federer comentou o que achava de toda a situação nesta quarta-feira (10), após vencer o russo Daniil Medvedev no Masters 1000 de Shangai.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

Na visão de Roger Federer, os gandulas não devem deixar de entregar as toalhas para os atletas. Ele também condicionou sua opinião à quantidade de suor que cada tenista produz ao disputar uma partida. “A ideia da existência dos gandulas nos ajudarem é a de tornar a peleja mais rápida, sempre. Caso eles deixem de nos entregar as toalhas, muito tempo será perdido – o que é péssimo para jogadores, espetáculo e torcida. Existem jogadores que suam mais, e vai-se perder mais tempo para atendê-los”, exemplifica.

O suíço também fez questão de reiterar o respeito que tem pelos gandulas de modo geral. Relembrou seu passado, antes de ser tenista profissional, para ratificar sua posição. Apesar do incentivo, ele relembrou que há uma idade para que eles possam fazer seu papel sem prejudicar o andamento do cotejo. “Fui gandula de tênis por três anos e me parece óbvio que temos que respeitá-los. Ele sabem sua função e sempre devem desempenhá-las na totalidade de suas condições. Apesar disso, existem gandulas com menos de doze anos de idade. Aí a história é completamente diferente”, finalizou Roger Federer.

LEIA MAIS
Charge de Serena Williams no US Open sofre acusação de racismo
Roger Federer mostra habilidade no futebol em vídeo nas redes sociais; veja
Vencedora de Wimbledon em 2018, Angelique Kerber é dona de academia – mas ama sorvete
Nadal, Federer e Djokovic voltam a ser top 3 em ranking da ATP após o US Open