Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Gallo explica contrato longo para Denílson e revela desejo de clube japonês pelo atacante

Em entrevista à Rádio 98FM na manhã desta quarta-feira, o diretor de futebol do Atlético-MG, Alexandre Gallo, disse que recentemente o atacante Denílson despertou interesse do Cerezo Osaka, equipe da Primeira Divisão do Japão.

Eder Bahúte
Jornalista e assessor de imprensa.

Crédito: Reprodução/Rádio98

Contratado junto ao Granada, da Espanha, Denílson ainda não convenceu a torcida nas vezes em que atuou. Na partida contra a Chapecoense, quando precisou substituir Ricardo Oliveira, foi bastante criticado.

Para você ter uma ideia, há dez dias atrás, nós recebemos aqui uma visita de um representante do Cerezo Osaka para levá-lo no final do ano por empréstimo”, declarou Gallo.

A emoção é aqui, no SBT!

#GrandeFinalnoSBT

As melhores notícias de esportes, direto para você

 
Denílson

Bruno Cantini/CAM

Denílson chegou ao Atlético-MG com um contrato de cinco temporadas. O período extenso do vínculo é sempre questionado pelo atleticano nas redes sociais.

Nós queríamos contratar um jogador com um pouco mais de idade do que o Alerrandro, até para não atrapalhar o desenvolvimento que a gente entende que ele tem que ter. E nós queríamos um jogador que fizesse um contraponto técnico com o Ricardo Oliveira. Se você traz dois jogadores da mesma característica, não existe mudança. Nós buscamos um jogador que fosse grande, tem 1,87m, e que também fizesse gols. Quando nós contratamos, ele tinha 11 gols até então: dois no Campeonato Brasileiro e nove no Campeonato Baiano. É um atleta de 32 gols na carreira. A gente levantou, inclusive, que, com 20 anos, na segunda divisão da Espanha, ele fez 10 gols em 32 jogos. Tem gols no São Paulo e no Avaí também. As condições foram boas para a gente adquirir esse atleta porque nós levantamos os jogos que ele fez, principalmente este ano. Todo jogador tem essa faixa etária, tem um histórico desse com 11 gols. Na época que nós contratamos, ele tinha mais gols do que o Ricardo Oliveira. O Ricardo tinha nove e ele tinha 11″, pontuou.

“Nós temos que fazer uma aposta. Agora, eu acho difícil em 171 minutos você fazer uma análise de um jogador. Eu, particularmente, não consigo. Futebol não tem segredo”, completa.

Elogiado nos treinos

Se dentro de campo Denílson ainda não teve tempo de mostrar seu potencial, nos treinos ele tem mostrado serviço e agradado.

O Éder Aleixo é um entusiasta dele. Treina muito, se dedica, é profissional. Só não teve a chance ainda de fazer seis, sete, oito jogos, que é o que um jogador precisa para se firmar. Até o jogo contra a Chapecoense ele tinha jogado 73 minutos”, concluiu Gallo.

LEIA MAIS:

ELIAS REVELA QUE CAZARES FORÇOU SAÍDA DO ATLÉTICO; CONVERSA MUDOU A POSTURA DO MEIA