Marcelo fala sobre sensação de jogar no Camp Nou: “Quando todos os torcedores estão contra você, isso te motiva mais”

Mesmo tendo saído de campo chorando na vitória sobre o Viktoria Plzen, Marcelo não deve desfalcar o Real Madrid contra o Barcelona. O El Clásico do próximo domingo (28) pode ser um divisor de águas na equipe merengue, que não vive um bom momento na temporada.

Bruno Romão
24 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Reprodução/Twitter Real Madrid

Os três pontos vieram na Liga dos Campeões, porém o futebol desempenhado pelo Real Madrid novamente não convenceu. Se quiser voltar a ter paz com sua torcida, a equipe de Julen Lopetegui terá que cumprir uma missão difícil, bater o Barcelona em pleno Camp Nou. Em entrevista ao site do Campeonato Espanhol, Marcelo falou sobre as expectativas para o El Clásico.

“Jogar no Camp Nou e representar o escudo do seu time é algo muito bonito. A sensação é muito boa. Quando todos os torcedores estão contra você, isso te motiva mais. É um jogo em que quem falha menos ganha o jogo. Temos que estar atentos, sabemos da qualidade do Barcelona e os jogadores importantes que possuem”

“Vamos tentar superar essa situação, não estamos muito mal, mas queríamos ser melhores. Lopetegui está tentando fazer todo o possível para deixar o Madrid no topo, onde tem que estar”

“Quando cheguei ao Real Madrid, um dos meus objetivos era jogar um clássico e vencê-lo. Disputei muitos clássicos e é sempre uma alegria jogar contra o Barcelona. O mundo para para assistir a este jogo, seja no início da temporada ou uma final. Todos os jogadores do mundo gostariam de estar aqui jogando e eu tive o privilégio de jogar alguns”

Apesar de ter ganho praticamente tudo no Real Madrid, Marcelo falou sobre o que ainda lhe motiva no clube merengue.

Minha motivação é acordar todos os dias, saber que estou no Real Madrid e que podemos lutar todos os anos pela Liga dos Campeões. É muito difícil. Todos disseram que era impossível ganhar três seguidas. Todos disseram muitas coisas. Ainda hoje eles fazem isso. Mas minha motivação é essa. Acordar com saúde, com minha família me apoiando. É simples assim. Coloco minhas chuteiras, sinto o cheiro da grama e entro em campo“.

LEIA MAIS

Lateral brasileiro elogia CR7 mas ressalta grandeza do Real Madrid: “É maior do que qualquer jogador”

Suárez relembra tempos difíceis após mordida em Chiellini: “Minha filha perguntava porque eu não estava jogando”