Autor de “cesta milagrosa”, Paulinho analisa reformulação do Basquete Cearense para o NBB

Uma das equipes que passou por mais transformações desde a última temporada do NBB foi o Basquete Cearense, que entra em quadra neste sábado (13).

Bia Palumbo
Colaborador do Torcedores

Crédito: Bia Palumbo/Torcedores.com

Dannyel Russo assumiu a equipe no lugar do técnico Alberto Bial, que estava há seis temporadas no Basquete Cearense. Outra mudança foi a saída do patrocinador master (Solar, distribuidora da Coca-Cola no Nordeste) e a troca de casa (do Ginásio Paulo Sarasate para o Centro de Formação Olímpica).

Paulinho Boracini (Crédito da imagem: Stephan Eilert/Basquete Cearense)

Na última temporada, o Basquete Cearense conseguiu avançar para os playoffs pela primeira vez, superou o Pinheiros e só foi eliminado para o campeão Paulistano. “Mudou muita coisa, houve uma renovação completa tanto da parte técnica (elenco, treinador) quanto fora da quadra (patrocínio, ginásio). A torcida de Fortaleza é alucinada, mesmo quando a gente não está nos melhores jogos eles estão incentivando, fazem uma festa bonita”, comentou o armador Paulinho Boracini.

Em março, o armador de 33 anos acertou um chute de três pontos que determinou a vitória sobre o Bauru. O Basquete Cearense estava perdendo, mas a dois segundos do fim ele mandou a bola na cesta. O lance é lembrado até por torcedores rivais. “Foi uma das últimas coisas que fiz antes de me machucar, até hoje tem muita gente que vem falar comigo. Recebi muita mensagem, mas foi importante para divulgar o basquete brasileiro”, contou.

Cerca de um mês após a “cesta milagrosa”, Paulinho Boracini rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito. “Estou há cinco meses parado, quase liberado para voltar pra quadra, mas precisa ter calma para voltar 100%”, concluiu.