Palmeirenses criam movimento para mulheres torcedoras após caso de violência no Metrô

Um grupos de 11 mulheres torcedoras do Palmeiras resolveu criar o “VerDonnas”, coletivo que tem o objetivo de unir e estimular a participação cada vez maior de mulheres para acompanhar o Alviverde.

Vitor Cavalcanti
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Instagram

A iniciativa começou no dia 28 de setembro, quando começaram a circular nas redes sociais dois vídeos em que torcedoras palmeirenses eram agredidas e expulsas do Metrô por corintianos. Desde então, o grupo já acumula mais de quatro mil seguidores no Instagram e quase três mil no Twitter. Também existem dois grupos de Whastapp em que cerca de 300 mulheres se dividem.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, Tainá Shimoda, uma das fundadoras, explicou o movimento.

“Eu acho que o principal é união, que é muito importante quando falamos de futebol e mulher. É muito importante para incentivar e promover. União entre as meninas torcedoras. E acolhimento é a grande palavra que temos sentido. As meninas se sentem acolhidas para irem aos estádios. Percebemos rápido que a demanda era muito grande e eu acho que o maior impacto é incentivar mais mulheres a irem aos jogos e deixar as que já iam mais seguras por terem companhia”, afirmou.

Tainá ainda mostrou a vontade de ver o grupo crescer e se aproximar oficialmente do Palmeiras, para tentar um respaldo por parte do clube.

“A gente espera que o VerDonnas chegue muito longe. Gostaríamos de conversar com o clube para deixar mais oficializado. O nosso intuito é crescer para ajudar cada vez mais gente e trazer meninas de fora de São Paulo. Queremos deixar isso de herança para as palmeirenses. Uma coisa que esperamos muito e já vemos, é que quem começa a integrar já se sente parte e percebe que o movimento é dela, também”, afirmou.

LEIA MAIS

Palmeiras aposta em gol fora e retrospecto para semifinal da Libertadores

Ex-Palmeiras e Boca relembra briga com Tévez e revela torcida na semi da Libertadores

Tévez fala em revanche contra Palmeiras e vê Boca mais forte