Caso Daniel: Edison Brittes e mais três pessoas serão indiciados pela policia

O caso Daniel parece estar entrando em sua fase final de conclusão. Sete pessoas já foram presas acusadas de participar da morte do jogador. Cristiana e Alana serão indiciadas por coação de testemunhas e fraude processual.

Otávio Silva
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/RPC

A polícia ainda afirmou que Edison, esposo de Cristiana e pai de Alana, será indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. O inquérito, do Caso Daniel, será entregue para ao Ministério Publico nessa quarta-feira. Contendo aproximadamente 21 páginas e 370 páginas, confirme informou a polícia.Os laudos do IML serão incorporados mais tarde.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva

Cristiana, uma das acusadas de participar da morte do jogador, entrou com um pedido de revogação da sua prisão, mas foi negado pela justiça. Ele responderá por coação de testemunhas e fraude processual.

Eduardo da Sllva, Igor King e David Willian da Silva responderam por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Eduardo Porkote responderá por lesão grave.

Relembre o caso

O corpo do jogador foi encontrado mutilado, no interior do Estado do Paraná. O atleta foi morto depois de participar da festa de aniversário de Allana Brittes, uma das acusadas pelo crime.

Segundo a polícia, o jogador foi agredido por Edison e mais três jovens. A defesa dos outros três envolvidos negou qualquer participação dos jovens no crime.

Trajetória

Começou nas categorias de base do Cruzeiro, até chegar ao Botafogo, clube pelo qual se profissionalizou. Disputou 29 partidas pelo Fogão, marcando cinco gols, isso antes de se transferir para o São Paulo. No clube paulista fez 16 jogos, depois passou por Coritiba, Ponte Preta e estava jogando pelo São Bento, clube que participa da Série B do Brasileirão. O atleta tinha 24 anos quando foi encontrado morto.

Saiba mais:

Saiba tudo sobre o caso Daniel, jogador que foi assassinado