Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Em 2001, Verstappen pai atrapalhou Montoya em Interlagos

Max Verstappen foi prejudicado por Esteban Ocon no GP do Brasil esse ano. Mas seu pai fez algo parecido com Montoya em 2001

Andre Nascimento Donati
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/YouTube

Para quem é fã de historias de maldições e conspirações, aqui vai uma boa historia. Jos Vestappen, pai de Max Verstappen, piloto da Red Bull atrapalhado por Esteban Ocon durante o GP do Brasil, atrapalhou outro piloto. E foi exatamente na mesma pista de Interlagos, e a vítima foi o colombiano Juan Pablo Montoya. Quem desenterrou essa historia do baú foi Fred Sabino, editor da Fórmula 1 no Globo Esporte, via twitter.

A situação era bastante semelhante ao que aconteceu esse ano. Montoya, que pilotava uma Williams, liderava a prova. E estava bastante empolgado, pois era apenas a sua terceira corrida na categoria, e estava mostrando um grande serviço. Entretanto, na volta 38, encontrou-se com Jos Verstappen, então piloto da Arrows e retardatário. O colombiano ultrapassou o holandês, colocando uma volta. Entretanto, Verstappen não freou a tempo e encheu a parte de trás do colombiano, que não teve a mesa sorte que o filho de seu algoz teve esse ano. Teve que abandonar a prova, e o terceiro seguido, já que ele não tinha completado as duas primeiras provas da temporada.

Apesar das semelhança,s existem algumas diferenças em relação aos dois casos. Além do abandono de Montoya, o toque foi no final da reta oposta, enquanto que o de Max Verstappen foi no S do Senna. Entretanto, o principal ponto que tem a destacar é que o colombiano não foi tirar satisfação com Jos.  Embora tenha que se lembrar que, apesar de novato, Montoya já tinha uma certa experiência (correu dois anos na CART, dendo campeão numa delas, além de vencer as 500 milhas) e também maturidade. Coisa que ainda falta para o jovem Verstappen

Confira aqui o toque entre Montoya e Verstappen

VEJA MAIS: GP DO BRASIL: VEJA A REPERCUSSÃO DA CORRIDA NAS MÍDIAS SOCIAIS