Iniesta inova e dá entrevista pelado em uma banheira

O meia espanhol com uma história impressionante no futebol, e principalmente no time do Barcelona.O jogador surgiu de uma maneira inusitada na mídia.

Tathiane Marques
Colaboradora do Torcedores.com, são-paulina e admiradora do EC Bahia.

Foto: Reprodução de TV

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Atualmente o craque espanhol  Andrés Iniesta encara um novo desafio em sua vida, no clube Vissel Kobe, no Japão.

O jogador concedeu uma entrevista bem diferente das habituais, com toque intimista e despojada, ao programa Planeta Calleja do canal de televisão espanhol Cuatro.

Iniesta recebeu o jornalista Jesús Calejja e fez um tour nos ambientes diversos para a produção.

Com sua esposa Ana em casa, no estádio onde jogador e entrevistador bateram uma bola, no alto do Monte Maya, pico mais popular de Kobe.

E o local mais inusitado, dentro de uma banheira do hotel, onde a entrevista rolou com os dois nus.

Justamente nessas condições que o ápice da entrevista aconteceu, dividindo a banheira com o jornalista, o ex-meia do Barcelona e da seleção espanhola fez uma surpreendente revelação.

Iniesta de 34 anos revelou que em seu melhor momento na carreira no Barcelona, e antes da sua participação na Copa do Mundo de 2010, entrou em depressão e só se recuperou com acompanhamento psicológico.

Tive uma etapa bastante difícil, em 2009, 2010. A razão não sei qual foi, mas entrei numa, digamos, depressão, que me deixou muito mal. Precisei de ajuda psicológica – declarou.

Em 2009, foi o ano dourado do time do Barcelona, quando a equipe conquistou tudo, as seis competições disputadas; Copa do Rei, Campeonato Espanhol,  Supercopa da Europa, Supercopa da Espanha, Liga dos Campeões da Uefa e Mundial de Clubes.

– É uma boa reflexão. Ter tudo não garante a felicidade, me sentia vazio. Tínhamos acabado de ganhar o Triplete (Espanhol, Liga dos Campeões e Copa do Rei), tínhamos tudo, o Mundial – observou o jogador, autor do gol que deu o título mundial à Espanha na Copa da África do Sul, na vitória por 1 a 0 na final contra a Holanda.

O jogador também comentou sobre o seu lado emotivo, ao lembrar de momentos em que o futebol o fez chorar.

Já chorei, já me emocionei, sobretudo nesta última etapa, com as despedidas (do Barcelona). E também já chorei quando as coisas saíram ruins, quando perdi títulos, quando ganhei, em momentos difíceis, de tudo um pouco.

 

LEIA MAIS:

Enem 2018: veja 5 jogadores que possuem ensino superior