Saiba tudo sobre o caso Daniel, jogador que foi assassinado

O caso Daniel chocou o país não só pelo assassinato de um jogador de 25 anos do futebol brasileiro, mas pela forma como isso ocorreu. Diferentes versões foram mostradas desde o ocorrido no dia 27 de outubro. O caso está chegando próximo de um desfecho final.

Renan Prates
Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com

Crédito: Daniel (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Nesta quarta-feira (28), o UOL Esporte divulgou que a jovem Evellyn Brisola Perusso, de 19 anos, foi denunciada pelo Ministério Público (MP) na última terça como suspeita de envolvimento no caso. A garota teria beijado o atleta antes do crime e depois teria ajudado a limpar o sangue proveniente do crime.

No último dia 21, Edison Brittes foi indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver de Daniel no inquérito de 21 páginas e 370 páginas que foi entregue para ao Ministério Publico. No mesmo dia, divulgamos todos os indiciados e os crimes do Caso Daniel.

Nesta segunda-feira (26), Cristiana Brittes, mulher de Edison, também ingressou ao ‘time’ de denunciados pela morte da Daniel. A informação foi dada pelo programa Fantástico, da TV Globo. Ela foi indiciada pela polícia por fraude processual, coação de testemunha e homicídio. Cristiana já havia sofrido um revés na última terça-feira (20), quando foi negada a revogação da sua prisão.

No dia 22, foi divulgado que os laudos da perícia do Instituto Médico Legal (IML) do Paraná mostraram que Daniel morreu após receber facada no pescoço. Na mesma quinta-feira, uma ocorrência antiga complicou a situação de Edson Brittes: no dia 6 de junho deste ano, ele teria tentado entrar em contato com policiais e um deputado como uma forma de evitar sua prisão por porte ilegal de arma.

Dois dias depois, a defesa de Edison contestou os dados apresentados pelo laudo e afirmou que contratará uma perícia particular para realizar uma nova análise.

Na última quinta-feira (15), a polícia prendeu o sétimo suspeito de ter participado do crime. Eduardo Purkote Chiuratto é acusado de quebrar o celular de Daniel, arrombar a porta do quarto de Cristiana, e ajudar a espancar o jogador antes dele ser assassinado.

Posteriormente a prisão, Viviane Purkote, mãe de Eduardo, deu entrevista ao UOL Esporte alegando que Edison Brittes mentiu no depoimento para tentar incriminar o seu filho.

O mesmo UOL revelou na sexta-feira (16), que diálogos no whatsapp que foram incluídos no inquérito mostravam que a mãe de Daniel, Eliana Corrêa, tentou convencer o jogador a não ir na festa de aniversário de Allana Brittes, filha de Cristiana e Edison, no local onde o crime acabou acontecendo.

Na quarta (14), o UOL revelou que outro suspeito de ter ajudado na morte de Daniel, David Vollero, era jogador de futebol e conversou com a vítima minutos antes do crime.

Na última segunda-feira (12), o último suspeito de ter participado da morte de Daniel prestou depoimento para a polícia. Eduardo Henrique Ribeiro da Silva é namorado da prima de Cristiana.

O advogado de Eduardo, Edson Stadler, informou ao UOL que a versão apresentada por ele é diferente de todas as demais. Ele explicou que a intenção era castrar Daniel – ao invés de matá-lo. “A realidade é de que com o mesmo designo e mesmo objetivo eles se associaram para fazer uma castração da vítima, do Daniel. Após as agressões verificadas na casa, houve um convite do Brittes, para que eles fossem juntos para segurar o Daniel para que esse pudesse fazer a castração da vítima”.

Com passagem por clubes de expressão no Brasil como São Paulo, Botafogo, Cruzeiro e Coritiba, Daniel Corrêa Freitas defendia o São Bento, da Série B do Brasileirão, por empréstimo.

Daniel estava de folga em São José dos Pinhais, região metropolitana de Coritiba, e teve seu corpo encontrado na Colônia Mergulhão. O Instituto Médico Legal (IML) apontou ferimento com arma branca como causa da morte.

O assassinato de Daniel causou repercussão em todo meio futebolístico. Houve comoção nas redes sociais. Vários clubes do Brasil se manifestaram em pesar pela morte do jogador.

Edison Brittes é apontado, até o momento, como o principal suspeito do assassinato de Daniel. Mas outras pessoas também estão envolvidas no caso que ganha um capítulo diferente todos os dias. Alguns clubes, como São Paulo e São Bento, até fizeram minuto de silêncio em homenagem ao meia antes dos treinos.

Na quinta-feira (08), a repórter Gisele Henriques, do Torcedores, publicou no site uma matéria que busca responder aos seguintes questionamentos:

– Além do casal Edison/Cristiana Brittes e da filha Allana, mais alguém pode ser preso?
– O que disseram nos novos depoimentos?
– O estupro aconteceu realmente?
– As imagens do crime divulgadas nas redes sociais são verdadeiras?

Confira as principais notícias que ajudam a elucidar o caso Daniel, desde o dia que da sua morte

Polícia prende suspeito pela morte de Daniel; agressor diz que jogador tentou estuprar sua esposa
Testemunha confirma que Daniel foi espancado antes de assassinato: “pedia para não morrer”
Velório de Daniel em Minas Gerais é marcado pela comoção
Morte do meia Daniel repercute nas redes sociais; veja manifestações
Caso Daniel: Delegado diz que meia estava alcoolizado e sem reação