Saiba tudo sobre a Superliga Feminina 2018/2019

  Chegando a sua 25ª edição, a Superliga Feminina se inicia oficialmente dia 16, com grandes nomes do vôlei feminino nacional e internacional. Grandes equipes, atletas e camisas disputam uma das mais equilibradas competições de vôlei do mundo. Aqui reunimos tudo que você precisa saber sobre a competição.

Tauany Rodrigues
Apaixonada por vôlei, futebol americano e futebol, mas amante de todos os esportes.

Crédito: Reprodução Instagram Praia Clube (@praiaclubeoficial)

TIMES

Na modalidade feminina, a Superliga conta com 12 equipes. 10 remanescentes da edição anterior e duas disputando pela primeira vez a principal divisão do torneio.

Dentil Praia Clube/MG

Lloyd/Ananda/Bruna Caixeta
Fawcett/Paula Borgo
Fê Garay/Rosamaria/Ellen/Michelle
Fabiana/Carol/Fran/Gabriela Silva
Suellen/Lais

SESC/RJ

Roberta/Carol Leite
Monique/Natiele
Drussyla/Kosheleva/Peña/Kasiely
Mayhara/Juciely/Bia/Lynda Jessica
Gabiru/Vitória

Minas Tênis Clube/MG

Macris/Bruninha
Bruna Honório/Malu
Natália/Gabi/Lana
Gattaz/Mara/Mayany
Leia

Osasco Audax/SP

Claudinha/Carol Albuquerque
Hooker/Lorenne/ Domingas
Mari Paraiba/Leyva/Paula Pequeno/Vivi
Wal/Natasha/Nati Martins/Mayara
Camila Brait/Kika

Hinode Barueri/SP

Dani Lins/Juma/Jackie Moreno
Skowronska/Sara
Thaisa/Milka/Vivian/Lays
Amanda/Elina Rodriguez/Maira/Tainara
Natinha

SESI Vôlei Bauru/SP

Fabiola/Naiane/Iarla
Diouf/Tiffany
Palacios/Vanessa/Edinara/Gabi Candido/Glayce
Andressa/Valquiria/Saraellen
Tassia/Arlene

Fluminense/RJ

Giovanna/Ju Carrijo/Vivian
Joycinha/Arianne/Sanabio
Pri Daroit/Thaisinha/Carla/Carol Won Held
Hage/Lara/Larissa/Marcella
Sassa/Teny

Esporte Clube Pinheiros/SP

Lyara/Fran/Amanda
Kelsie Payne/Lorrayna
Herrera/Clarisse/Mari Casemiro/Pietra
Aline/Roberta/Camila Paracatu/Lorena
Ju Perdigão/Leticia

São Cristovão Saúde São Caetano/SP

Maria Alejandra/Ana Flávia
Segovia/Kisy
Fê Tomé/Sonaly/Dayse/Karina
Fe Isis/Diana Alecrim
Andressa

BRB Brasília Vôlei/DF

Diana/Mari Barreto
Renatinha/Neneca
Natália Fernandes/Natália Silva/Gabrielle Lima
Angélica/Mimi Sosa/Fê Campos/Eduarda Macedo
Dani Terra/ Eduarda Silva

Curitiba/PR

Ana Cristina/Mariana Galon
Sabrina/Wime
Paquiardi/Priscila/Elis/Talia
Vivi Goes/Valeskinha/Mariana Aquino
Ju Paes/Aninha

Balneário Camboriú/SC

Pri Heldes/Rosane
Laiza/Ariane
Ivna/Paula Mohr/Ariele
Adri/Raquel/Ana Paula
Silvana/Ju Odilon

SEDES

Os times da Superliga Feminina estão espalhados pelas cidades de Uberlândia, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Osasco, Barueri, Bauru, São Paulo, São Caetano, Brasília, Curitiba e Balneário Camboriú.

FAVORITOS

Dentil Praia Clube: Atual campeão da competição, a equipe mineira não quis parar por aí. Já contava com grande elenco na temporada passada, mas seguiu se reforçando. As chegadas da levantadora norte americana Carli Lloyd e da central Carol, suprem a altura a saída de Claudinha e Walewska. Outra que chega para ajudar a equipe de Paulo Coco a conseguir o bicampeonato é a jovem Rosamaria.

Sesc/RJ: O maior campeão da competição é sempre favorito a tudo que disputa. Seja pelo seu elenco ou pelo seu técnico que é simplesmente o Bernardinho. Para essa temporada, a equipe trouxe dois reforços. Uma, a central da seleção brasileira Bia, que veio do rival Osasco. A outra, a russa Tatiana Kosheleva, que estava na Turquia e agora irá atuar pelo time carioca, que vai em busca do décimo terceiro título.

Minas Tênis Clube: Um dos mais tradicionais clubes de esportes olímpicos do país, não poderia ser diferente no vôlei. Trouxe como reforços as pontas Natália, que estava na Turquia e Gabi, que veio do Sesc. Ainda tem a aposta Bruna Honório, uma das principais pontuadoras da última edição da Superliga. Tudo isso para correr atrás do título que não vem há algum tempo.

Sesi Vôlei Bauru: Após se juntar com a equipe do interior de São Paulo, o Sesi busca reviver os bons tempos. Atual campeão paulista, apostou na experiência de Tássia e Fabíola, junto com a estrela italiana Valentina Diouf para tentar surpreender os sempre favoritos. O time conta ainda com a ponteira cubana Palácio e a oposta brasileira Tiffany para buscar o título inédito para o clube.

Osasco Audax: Mesmo perdendo o principal patrocinador e estando em reformulação, a tradicional equipe da grande São Paulo não pode ser deixada de lado no hall dos favoritos. Apostou em nomes com identificação com a torcida, como a ponteira Paula Pequeno e a oposta norte americana Desntinee Hooker, que brilhou na campanha do último título osasquense na competição.Ainda trouxe a experiente central Walewska e a levantadora Claudinha, que foram campeãs do campeonato na sua última edição.

FORMA DE DISPUTA

A Superliga mantém a forma de disputa de outros anos na primeira fase. A principal mudança se dá na disputa dos playoffs. 

A primeira fase é dividida em turno e returno, onde todos os times se enfrentam entre si, em casa e fora. Uma vitória por três sets a zero ou três sets a um dá ao time vitorioso três pontos. Vitórias por três sets a dois dá ao time vencedor dois pontos e ao time perdedor um ponto.

Ao final dos dois turnos, os oito primeiros colocados se classificam aos playoffs que são divididos em quartas de final, semifinais e finais. Terá vantagem de decidir as séries de playoffs em casa, a equipe que tiver a melhor colocação na fase de classificação.

Os dois últimos colocados são rebaixados para a Superliga B.

As quartas de final serão disputadas em melhor de três jogos, assim como as semifinais e as finais.

As finais serão disputadas entre os dias 20/04/2019 e 14/05/2019. As datas estão sujeitas a alteração da CBV (confederação Brasileira de Voleibol).

TRANSMISSÕES

Principal emissora a transmitir a Superliga, o Sportv continua realizando a principal cobertura da competição. Para essa temporada, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) anunciou que a TV Gazeta também irá transmitir a Superliga. É mais uma opção para que os fãs de vôlei possam acompanhar a competição. Além das opções pela TV, os fãs de vôlei poderão acompanhar algumas partidas sendo transmitidas no Canal Vôlei Brasil (serviço pertencente a CBV) e também através do globoesporte.com.

HISTÓRIA DA COMPETIÇÃO

Disputada desde de 1994, a Superliga é o principal competição de clubes da América Latina. O maior campeão da competição é a equipe do Sesc Rio de Janeiro, que é detentora de doze títulos. Por muito tempo, as finais foram uma disputa particular entre a equipe carioca e a equipe de Osasco, a maior rivalidade do vôlei nacional. O último campeão inédito é justamente o Praia Clube, que subiu ao lugar mais alto do pódio na edição passada da Superliga.

E aí, pra quem vai a sua torcida?