Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Atlético-PR é o 7° clube Brasileiro a chegar na final da Sul-americana; Relembre os outros

Na próxima quarta-feira (12), o Atlético-PR entra em campo contra o Junior Barranquilla (COL) para disputar o título da Copa Sul-americana. O clube paranaense tenta se juntar ao Internacional, São Paulo e Chapecoense como únicos clubes brasileiros a erguerem esta taça.

Rafael Bueno
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/YouTube/TV Globo

Nos últimos 10 anos, sete Brasileiros chegaram a decisão da copa sul-americana. Vamos relembrar as vezes que o Brasil esteve representado na final da competição.

Internacional x Estudiantes (ARG) – 2008

Ida: Estudiantes 0x1 Internacional

Volta: Internacional *1×1 Estudiantes     *Prorrogação 

Até o ano de 2008, nenhum brasileiro havia sido campeão da competição. O Internacional começou a decidir o inédito título da Sul-Americana jogando fora de casa contra o Estudiantes, no Estádio Ciudad de La Plata. O inter teve que se superar no primeiro jogo, já que teve Guiñazu expulso aos 24 do primeiro tempo. Apesar disso, com muita garra, o Inter lutou e,com um gol de pênalti de Alex, venceu a equipe argentina pelo placar de 1×0.

No jogo de volta, no tempo normal, o Inter foi derrotado por 1 a 0 para o Estudiantes. O resultado fez com que o jogo fosse para prorrogação. Da maneira mais emocionante possível, aos 8 min do segundo tempo do tempo extra, Nilmar marcou o gol que garantiu a conquista do título inédito: 1 a 1, resultado que servia ao Inter, já que havia vencido o jogo de ida na Argentina por 1 a 0.

LDU (EQU) x Fluminense – 2009

Ida: LDU 5X1 Fluminense

Volta: Fluminense 3×0 LDU

No ano de 2008, enquanto o Inter comemorava o titulo da sul-americana, o Fluminense amargava o vice campeonato da Libertadores, após perder para a LDU nos pênaltis. Um ano depois, o mesmo Fluminense voltou a encontrar a mesma LDU, em uma mesma final de torneio sul-americano, só que desta vez da Copa Sul-americana. Além disso, o Fluminense, desta vez, brigava fortemente contra o rebaixamento do campeonato brasileiro.

No jogo de ida, o Fluminense não só tinha como adversário o time da LDU, como também a altitude de Quito, grande preocupação dos Brasileiros.

Assim como aconteceu em 2008 na final da libertadores, o fluminense foi duramente derrotado pelos equatorianos, em vez dos 4 a 2 de 2008, em 2009 foram impiedosos 5 a 1 na primeira partida da final. Méndez foi o destaque com três gols. Salas fez o quarto, e De la Cruz, o quinto. Marquinho marcou para os brasileiros, com menos de um minuto de partida.

No jogo de volta, a torcida do fluzão lotou o maracanã para empurrar a equipe carioca em busca de uma virada histórica. Porém, novamente a festa foi da LDU que, pelo segundo ano consecutivo, comemorou um título sul-americano no Maracanã. Mas o Fluminense deixou o gramado de cabeça erguida, aplaudido pela torcida e aos gritos de “Time de guerreiros”. O Tricolor lutou, correu, batalhou até o fim e chegou muito perto de reverter o placar já que venceu o jogo por 3×0, com gols de Diguinho, Fred e Gum.

Independiente (ARG) x Goiás  – 2010

Ida: Goiás 2×0 Independiente

Volta: Independiente 3×1 Goiás 

Pênaltis: Independiente 5×3 Goiás 

Em 2010, o Goiás chegou para tentar o primeiro título internacional de sua história. Acreditando no grande nome do seu elenco, Rafael Moura, a torcida lotou o Serra Dourada para apoiar o clube goiano. Apresentando um belíssimo futebol, o Goiás venceu o Independiente por 2 a 0, com gols de Rafael Moura e Otacílio Neto, ficando mais perto de conquistar a Copa Sul-Americana.

Com esse placar, o clube goiano, no jogo de volta, poderia até perder por um gol de diferença que ainda assim ficaria com o título.

No segundo jogo, o Goiás não se intimidou com a pressão do estádio lotado, jogou muito bem contra o  Independiente em Avalleneda, mas não conseguiu o tão sonhado – e inédito – título internacional. Após perder por 3 a 1 no tempo normal (uma partida em que atuou melhor durante a maior parte do tempo), o time brasileiro foi derrotado na disputa de pênaltis por 5 a 3 e ficou sem o caneco da Copa Sul-Americana 2010.

São Paulo x Tigre (ARG) – 2012

Ida: Tigre 0x0 São Paulo

Volta: São Paulo 2×0 Tigre

Pela terceira vez em 5 anos, a final da sul-americana seria entre um clube Brasileiro e um Argentino. De um lado, o tri-campeão da libertadores São Paulo, chegava como favorito para encarar o modesto Tigre, que chegava como azarão a esta decisão.

O primeiro jogo da final tinha mando do Tigre. Porém seu estádio não tinha o suporte para receber uma final de acordo com o regulamento da CONMEBOL, então a equipe argentina mandou o jogo para a La Bombonera.

A equipe do Tigre, sabendo de toda sua limitação, apostava na catimba para igualar o duelo. E deu certo. Logo aos 13 minutos do primeiro tempo, Luis Fabiano, artilheiro tricolor, foi expulso após se envolver em uma confusão e tentar agredir um jogador adversário. Com isso, o atacante prejudicou demais a equipe tricolor que, sem referência na área, não conseguiu sair do 0 a 0 diante de um fraco Tigre, deixando a decisão para o Morumbi.

No jogo de volta, a torcida tricolor lotou sua casa para a final. Lucas, revelação da equipe fazia seu último jogo antes de partir para o PSG. O São Paulo, desta vez, suportou a catimba e provocações dos argentinos e, com um primeiro tempo impecável, abriu 2×0 no placar com gols de Lucas e Osvaldo. Na saída de campo, logo após o fim do primeiro tempo,  o atacante Lucas passou pelo lateral-esquerdo do Tigre oferecendo a ele, de forma irônica, o chumaço de algodão que estancava o sangramento em seu nariz, que estava assim devido a uma pancada recebida pelo adversário um pouco antes. Não demorou para que jogadores do Tigre cercassem o jogador do São Paulo. Revoltados com a provocação – e, claro, com a derrota -, os argentinos partiram para cima dos são-paulinos e por pouco não invadiram o vestiário do time da casa.

Alegando falta de segurança, a equipe argentina se recusou a voltar a campo e jogar o segundo tempo e, depois de mais de 30 minutos esperando pela volta do Tigre, a arbitragem decretou o jogo como encerrado, dando o título ao São Paulo. Foi o primeiro título do tricolor nesta competição. O segundo do Brasil.

 

Lanús (Arg) x Ponte Preta – 2013

Ida: Ponte Preta 1×1 Lanús

Volta: Lanús 2×0 Ponte Preta

Olha aí mais uma final Brasil x Argentina. Desta vez, o azarão era o clube brasileiro. Depois de eliminar o atual campeão São Paulo nas semi-finais, a Ponte Preta chegou confiante para a primeira decisão internacional de sua história.

A exemplo do Tigre no ano anterior, a Ponte não poderia mandar o primeiro jogo em seu estádio, devido o regulamento da Conmebol. Então quase 30 mil fanáticos alvinegros lotaram o Pacaembu para acompanhar os primeiros 90 minutos da decisão.

A macaca se demonstrou valente e dominou o primeiro tempo, criou várias oportunidades, mas quem saiu na frente foi o Lanús, com Goltz, que acertou uma bela cobrança de falta para abrir o marcador. O gol, porém, não mudou a postura da Ponte, que chegou ao empate também de falta, com Fellipe Bastos, deixando o primeiro jogo empatado em 1×1.

Na volta, a Ponte foi até La Fortaleza e, diante de uma pressão absurda, acabou sendo derrotada pelo Lanús. Em dois problemas de marcação logo no primeiro tempo, os argentinos conseguirem abrir 2 a 0 no placar e a vantagem tranquila pro resto do jogo. Para a macaca restou amargar mais um vice campeonato em sua história.

 

Chapecoense x Atlético Nacional (COL) – 2016

Uma história mais triste do futebol brasileiro. Isso é o que define quando relembramos a historia da final da Copa Sul-americana de 2016.

De maneira espetacular, a Chapecoense chegava a final da competição pela primeira vez em sua história. Dentro da competição, havia eliminado equipes tradicionais como Independiente e San Lorenzo, o que fez com que a equipe brasileira ficasse badalada para a decisão contra o Atlético Nacional de Medelín.

Porém, no dia 29 de Novembro do mesmo ano, recebemos a mais triste e trágica notícia que poderíamos imaginar. O avião que levava a equipe catarinense havia caído na Colômbia deixando 71 mortos. Entre eles, jogadores, membros da comissão técnica e jornalistas.

Em meio desta tragédia, a equipe colombiana decidiu abrir mão do título da competição, consagrando assim a Chape como a grande campeã de 2016.

 

Independiente x Flamengo – 2017

Ida: Independiente 2×1 Falamengo

Volta: Flamengo 1×1 Independiente

Brasil x Argentina na final de novo? Sim ! Em 2017, novamente, tivemos este duelo, dessa vez entre Independente x Flamengo. Vindo do vice campeonato da Copa do Brasil, o Mengão queria a todo custo este título e, na primeira partida, foi a Avalleneda em busca de um bom resultado.

Jogando fora, o Flamengo começou bem, deu a impressão de que traria um bom resultado da Argentina quando Réver, no início do jogo, abriu o placar. Porém, dali em diante, a equipe brasileira pouco criou no jogo. Foi facilmente envolvido pelo toque de bola do Independiente e com gols Gigliotti e Meza virou a partida e venceu por 2 a 1.

No jogo de volta, o Independiente fez valer o apelido de “Rei de Copas”. O time carioca saiu novamente na frente, desta vez com Lucas Paquetá, que abriu o placar aos 29 minutos do primeiro tempo enlouquecendo o Maracanã. Mas por pouco tempo, já que 7 minutos depois o jovem Barco, de até então 18 anos, marcou o gol de pênalti que empatou o jogo e deu título ao time argentino.

As melhores notícias de esportes, direto para você