Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Blackstar defende Nobre e insinua processo milionário por injúria e difamação por “uso de documento falso”

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, encerrou qualquer possibilidade de negociação com a Blackstar, empresa que ofereceu mais de R$ 1 bilhão por dez anos de contrato de patrocínio. Em entrevista ao vivo ao programa “Seleção SporTV”, o mandatário alegou fraude e a apresentação de documentos falsos para descartar qualquer tipo de acordo. O assunto, no entanto, segue rendendo polêmica.

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

Crédito: Cesar Greco/ Ag.Palmeiras

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Nesta sexta-feira (21), o executivo Rubnei Quícoli, representante da empresa no Brasil, divulgou uma carta aberta ao blog do jornalista Eduardo Ohata, onde defendeu o ex-presidente Paulo Nobre e Genaro Marino, ex-vice e candidato à eleição como oposição de Galiotte.

Com absoluta certeza o Paulo Nobre e o Genaro Marino não seriam capazes de fazer algo para prejudicar o Palmeiras, pois ambos são palmeirenses que dedicaram parte de suas vidas ao clube”, diz Quícoli na carta.

As melhores notícias de esportes, direto para você

 

Reprodução/Twitter

Final do Mundial! Veja o PROGNÓSTICO de nosso especialista para Al Ain x Real Madrid

O empresário ainda fez questão de lembrar como era Nobre assumiu o Palmeiras em 2013. “Vale ressaltar que, quando o Paulo Nobre assumiu o Palmeiras tinha notificação de corte de abastecimento de água por não pagamento das taxas mensais. Nobre fez o que nenhum outro faria e todos sabem da história. Ainda assim, hoje querem instalar uma sindicância para expulsar as pessoas que mais fizeram pelo Palmeiras tomando atitudes que demonstram tamanha ingratidão por parte de muitos palmeirenses”.

Quícoli ainda lamentou a atitude de Galiotte ao usar, segundo ele, documentos falsos para encerrar as negociações com a Blackstar. O executivo insinuou o fato coloca o Palmeiras na mira de processo milionário por injúria e difamação.

LEIA MAIS:
Oposição, Nobre, proposta bilionária e ataques: relembre a história da Blackstar com o Palmeiras

Triste mesmo foi o uso de documento falso (fax montado e remontado) que o presidente do Palmeiras mostrou ao vivo para difamar a Blackstar de maneira irresponsável usando seu cargo e colocando a Sociedade Esportiva Palmeiras na mira de processo milionário por injúria e difamação contra uma empresa que apenas apresentou interesse de ser patrocinadora e nada mais”.

A carta também informa que a Blackstar não tem conta-corrente no HSBC, “o que tem são ativos financeiros. Para quem quiser checar ISIN NUMBER: US404280AS86 – EUROCLEAR BANK”.

“Com muita tristeza por ser palmeirense, me retiro definitivamente da possibilidade de tentar negociar com o Palmeiras. Espero que os palmeirenses reconheçam que da minha parte desde o início eu tentei, mas fui barrado por pessoas que os sócios deveriam exigir a certidão negativa de débitos e criminal (vocês terão surpresas podem acreditar!)”, conclui o documento.

CONFIRA A CARTA ABERTA NA ÍNTEGRA