Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Ponte Preta exige punição a Goiás por irregularidade cadastral de Ernandes

A Ponte Preta decide aguardar posição do STJD (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva) quanto ao caso Ernandes. O lateral possui irregularidade no cadastro do ano de nascimento.

Letícia Matsuura
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás E.C.

Em uma entrevista coletiva nesta terça-feira (4), a Ponte Preta defende que a irregularidade do jogador Ernandes deveria ser punida com pontuação dos clubes no Brasileirão. A Ponte aponta o Goiás como responsável por escalar com irregularidade cadastral.

No registro da CBF e dos clubes que jogou em 2018, Goiás e Ceará, Ernandes teria nascido em 1987. Entretanto, segundo o cartório da cidade natal, São Felix do Araguaia (MT), o nascimento do jogador é em 1985.

De acordo com o diretor jurídico da Ponte Preta, Giuliano Guerreiro, “a decisão da diretoria é aguardar até quarta-feira para ver se a Procuradoria vai oferecer a denúncia. Se eles oferecerem, vamos acompanhar como terceira interessada. Caso não, vamos tomar nosso caminho e oferecer a denúncia por conta”.

“Em tese, se o clube tem como verificar [o documento], teria culpa. Por uma interpretação, os clubes teriam responsabilidade na apresentação dos documentos apresentados por ele”, defende o advogado João Artioli na entrevista.

Visão da CBF

Em contrapartida, em entrevista para o Uol Esporte, a CBF entende que não há jurisprudência de perda de pontos a clubes em casos assim. A entidade explica que pode gerar punição ao próprio jogador, mas sem afetar a pontuação dos clubes e os campeonatos.

Reynaldo Buzzoni, diretor de registro da CBF, explica que “é uma questão clara do regulamento geral de competições. A irregularidade no ato do registro não é uma irregularidade na condição de jogo. Ele tinha condição. Não é nem um caso de STJD”. De acordo com ele, a CNRD (Câmara Nacional de Resolução de Disputas) avaliará o caso Ernandes.

“Dois anos a mais ou a menos não tem impacto esportivo no Brasileirão. O registro está errado há 20 anos. Não vejo uma punição ao clube”, conclui o diretor.

Consequências

Se houver punição aos clubes que Ernandes jogou em 2018, as tabelas da Série A e Série B do Campeonato Brasileiro seria modificada.
O Ceará, clube que Ernandes jogou uma partida, pode ser rebaixado, mantendo o time pernambucano Sport na elite do campeonato.

Já quanto ao Goiás, além de perder o acesso à série A, poderia também cair para a Série C do Brasileirão. A Ponte ficaria com o acesso e evitaria a queda do Paysandu.

*Com informações do Uol Esporte