Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Rogério Ceni surpreende: “Fiz o mesmo trabalho no Fortaleza e no São Paulo”

Nesta sexta-feira, pouco antes de mais um dia de CBF Academy (curso que se tornou obrigatório para treinadores do futebol brasileiro), Rogério Ceni concedeu entrevista ao repórter Cícero Mello. Em link ao vivo no “Bate Bola Debate”, programa da ESPN Brasil, o atual técnico do Fortaleza foi perguntado sobre o tempo de trabalho e os posteriores resultados no Tricolor de Aço e no São Paulo. A resposta foi enfática.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

“Honestamente, qualquer time precisa de resultados. Seja no Fortaleza ou em times menores ou até mesmo Palmeiras, Flamengo… todo mundo precisa de resultado. Infelizmente, o trabalho é secundário perto de um resultado. Quando você é campeão, tudo parece que deu certo”, afirmou Rogério Ceni na entrevista.

As revelações, porém, não param por aí. Na sequência, Ceni deu uma declaração que pode pegar muitos de surpresa.

“Eu fiz no São Paulo o mesmo trabalho que eu fiz no Fortaleza. No SPFC, não consegui vencer. No Tricolor de Aço, me tornei um vencedor. Não sou um gênio porque venci, não sou um estúpido porque perdi com o São Paulo. Me considero uma pessoa em aprendizado, a cada dia evoluindo com todos aqui, trocando ideias, aprendendo novos conceitos. É isso o que eu entendo da vida”.

O ex-goleiro, por fim, também não deixou de exaltar os atletas com quem trabalhou e trabalha. “Para mim, os grandes vencedores são sempre os atletas. Eles quem têm que executar. Eu já fui atleta, e é quem tem que decidir dentro de campo”, finalizou.

Confira abaixo a entrevista completa de Rogério Ceni ao repórter Cícero Melo, ao programa “Bate Bola Debate”, da ESPN Brasil:

LEIA MAIS
No Twitter, São Paulo comemora 25 anos do bicampeonato Mundial de Clubes
Bruno Alves celebra boa fase no São Paulo: “Melhor ano da carreira”
Sandro Forner, novo auxiliar do São Paulo, tem Série C e demissão por “pressão das redes sociais” no currículo