Atacante brasileiro relembra “bronca” de comentarista ídolo do São Paulo em time campeão na Alemanha

Para um jogador de futebol, chegar à Europa, muitas vezes, é a concretização de um sonho. Na Alemanha, então, com uma das ligas mais fortes do planeta e um país reconhecidamente forte no esporte, nem se falar. Para Caiuby, atacante que atualmente defende o Augsburg, a adaptação também teve seus momentos engraçados. Um deles aconteceu com Grafite, atleta com passagem destacada pelo São Paulo e que se tornou ídolo do Wolfsburg por conta do título da Bundesliga na temporada 2009/2010.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

Os Lobos, como é conhecido o Wolfsburg, foi o primeiro time de Caiuby na Alemanha. O atleta chegou ao clube em 2008, enquanto Grafite estava há um ano no clube. Mais adaptado à rotina do elenco, o atual comentarista do SporTV foi, praticamente, um tutor para o novato. Ele não sabia, por exemplo, da rotina de treinos e da parada para o almoço dos companheiros. E isso quase lhe rendeu um grande mal-estar com os colegas de time.

“Nós tínhamos dois treinos por dia. Sempre acontecia de almoçar junto com o Grafite lá no prédio da Volkswagen [multinacional automobilística que ajuda a manter o clube, da cidade em que a empresa foi fundada]. Eu não tinha visto o planejamento e fui surpreendido logo no começo. Não sabia que o time inteiro almoçava junto. Só sei que foi todo mundo almoçar e eu fui para o shopping. Todo mundo lá, reunido, me esperando. Aí ele me liga: ‘Onde você tá? Estamos te esperando e você fazendo compras?'”, recorda o atacante em entrevista ao repórter José Edgar de Matos, do portal UOL Esporte.

Na mesma entrevista, ele afirmou que quer voltar a jogar no Brasil. O atleta teve passagens, no país, por Ferroviária, São Paulo, Corinthians, Guaratinguetá e São Caetano.

LEIA MAIS
Polêmica: Alemanha libera imagens do nazismo em games
Antes esquecido, Morumbi sediará três jogos da Copa América 2019
Atual São Paulo FC não foi fundado no dia 25 de janeiro; entenda a polêmica