Jorge Henrique agradece Kuki em apresentação e se disponibiliza para ser exemplo no Náutico

Com muita emoção, Jorge Henrique enfim foi apresentado oficialmente no Náutico na última terça-feira (8). Contente por retornar ao Timba, o jogador de 36 anos foi apresentado por Kuki, seu companheiro no time alvirrubro no título pernambucano de 2004 e se mostrou muito agradecido.

Cido Vieira
Jornalista em formação, e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com, trabalho como setorista do Botafogo e futebol nordestino

Crédito: Divulgação - Náutico

“Vou sempre ser grato ao Kuki pela oportunidade que ele me deu dentro de campo e fora de campo, pois o considero como meu irmão. Me ajudou muito e tudo o que eu conquistei na vida, eu devo a ele. Sempre me ajudou, sempre estava ali me incentivando, mesmo quando eu morava embaixo da arquibancada. Eu devo muito mais a ele do que ao meu futebol. Futebol faz parte, é muito de força de vontade, mas precisa-se muito de caras como ele, que ajudam e acolhem garotos como eu fui. O mundo do futebol é muito sujo e a coisa que ele mais me ensinou foi a dar valor para as amizades que construímos”, contou emocionado, sem segurar à lágrimas.

Jorge Henrique desembarcou nos Aflitos pela primeira vez em 2001. Contratado junto ao Resende, o atacante permaneceu na equipe pernambucana até 2004 até se transferir para o Athletico Paranaense. Na sua coletiva, o experiente jogador relembrou os momentos de adversidades vividos naquela época, e fez um comparativo com a gestão atual do time alvirrubro.

“A gestão do Náutico na época não era profissional. Se hoje estivesse no Náutico com a idade que tinha em 2004, eu não iria embora. O que eles (Diógenes Braga, vice-presidente e Edno Melo, presidente) fizeram com o clube, especialmente para a base, é fantástico. Eu morei embaixo de arquibancada, dormindo com goteira, acordando às 4 ou 5 horas da manhã. Os meninos agora têm um alojamento, um local para ficar. Eu, felizmente, venci na vida, mas quantos amigos não ficaram para trás? Tenho certeza que muitos venceriam se tivessem uma estrutura como a atual à disposição”, refletiu o atleta.

Disposto a ser referência para os mais jovens, Jorge Henrique destacou ainda grandes jogadores que o inspiraram ao longo da carreira. “Eu procuro dar sempre o exemplo. Chego cedo nos treinamentos, pois tive grandes exemplos como o Ronaldo, no Corinthians, que era sempre um dos primeiros a chegar, então, é neste tipo de detalhe, de coisas pequenas que se faz a diferença”, colocou o jogador.

LEIA MAIS: