Indefinição sobre investimento da Caixa preocupa times da Série A e B do Brasileirão

A Caixa Econômica Federal passa por mudanças em sua política de investimentos. O novo governo promete rever os investimentos realizados nos últimos anos pelo banco estatal. Os times da Série A e B do Brasileirão devem ser afetados, já que só em 2018 o banco investiu R$127,8 milhões em 25 equipes, segundo informações do GloboEsporte.com e da própria Caixa.

Daniel Gois
Estudante de jornalismo da Universidade Católica de Santos. No Torcedores desde janeiro de 2017, escreve sobre futebol, basquete, formula 1 e eventualmente games.

Crédito: Montagem/Torcedores.com

Times como Santos, Atlético-MG e Botafogo têm a Caixa como patrocínio master. Os três não conseguiram renovar o vínculo até o momento. As equipes da Série B também dependem do investimento. O Londrina recebeu R$ 1,5 milhão do banco, mais que os onze outros patrocínios somados (R$1,3 milhão).

Marcelo Rizzo, diretor de marketing do Londrina, falou ao GloboEsporte.com sobre possíveis consequências de uma eventual saída do banco. “O impacto é grande. A gente esperava que isso poderia acontecer, é um tempo de mudança política, de alto comando, então é normal. O que temos que fazer é esperar e ficar de olho no mercado. O peso desse impacto é para os clubes e também para a Caixa”.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, o banco estatal gastou cerca de R$ 2,5 bilhões com publicidade e patrocínios em 2018, e isso inclui os times de futebol. O recém-empossado presidente da Caixa, Pedro Guimarães, deu indícios que haverá menos investimento no futebol.

Apesar disso, o banco pode continuar patrocinando os clubes. “A Caixa solicitou o envio da proposta para continuação do patrocínio. A gente vai enviar e esperar a resposta. Estamos tranquilos. Eles mesmos que pediram essa proposta”, disse Ricardo Lima, diretor de marketing do CSA, ao GloboEsporte.com.

Assim como o Londrina, o CSA recebeu R$ 1,5 milhão em 2018 referente ao patrocínio master da Caixa. Já o Fortaleza, campeão da Série B, recebeu R$ 3,2 milhões. Desse valor, R$ 800 mil vieram como bônus pelo título.

“Vejo com certa preocupação. A gente contava dentro do orçamento que foi aprovado”, disse Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, ao GloboEsporte.com. “Se não for, temos que buscar uma outra marca, com valor semelhante, para não causar um problema dentro do nosso orçamento”.

O clube que mais recebeu dinheiro da Caixa em 2018 foi o Flamengo. Patrocínio master, o banco pagou R$ 25 milhões ao Rubro-Negro. O Cruzeiro vem em seguida, com R$ 10,8 milhões, sendo R$ 800 mil como bônus pelo título da Copa do Brasil. Santos, Atlético-MG e Botafogo vêm logo atrás, todos com R$ 10 milhões.

VEJA TAMBÉM

Coutinho completa um ano no Barcelona; veja os melhores momentos do brasileiro no time catalão

Notícias do Atlético-MG: veja o que rolou nesta segunda (7)