Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Infantino insiste em ampliar o número de seleções já na Copa de 2022

A mudança está prevista para acontecer em 2026. Mas Infantino parece estar com outros planos e adiantar o inchaço o quanto antes.

Andre Nascimento Donati
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Marco Rosi/Getty Images

O presidente da FIFA, Gianni Infantino, anunciou que pretende colocar 48 seleções já na Copa de 2022, que irá ocorrer no Qatar. Ele anunciou o seu desejo durante a  13ª edição da Conferencia Internacional sobre Esporte, que ocorre em Dubai, nos Emirados Árabes. Por que não tentar o quanto antes?. Essa foi a fala dele durante o evento. O aumento no número de seleções está programado paras acontecer em 2026. Oficialmente, a do Qatar terá o mesmo número e participantes que a da Rússia: 32.

Aumentar o número de seleções é um ponto que causa bastante polêmica. O formato do torneio ainda é estudado. O mais provável é as seleções sejam colocadas em 16 grupos de três, e apenas o primeiro colocado passaria para o mata-mata. Esse é o modelo que mais tem chances de passar, pois não altera o número de jogos que as seleções tem que jogar para ser campeã. Outra proposta é dividir as seleções em doze grupos de quatro, passando o primeiro  colocado do grupo e mais os quatro melhores segundos colocados.

A divisão das vagas ficaria a seguinte: 16 vagas para a Europa (13 atualmente); 9,5 para a África (5); 8.5 para a Ásia (4,5), 6,5 para a América do Sul (4,5);6,5 para a América do Norte, e 6;5 para a Central e Caribe (3.5). Apenas a Oceania não teria o aumento de vagas, e continuaria a depender da repescagem (explicando os “números quebrados” das vagas.

Esse aumento no número de vagas acabaria com os dramas de seleções tradicionais não se classificando. Itália e Holanda, fora da Copa na Rússia ano passado, agradeceriam. Mas também pode causar o aumento no número de partidas sonolentas. O motivo: times sem condições de jogar uma Copa passariam a joga-la.