Após polêmica, conselheira do Flamengo pede desculpa a autistas, mas reforça ser contra eSports

Marion Kaplan, conselheira do Flamengo envolvida em uma polêmica com a equipe de eSports do clube, criou uma nova conta no Twitter e pediu desculpas, mas não aos atletas do clube e sim às pessoas que possuem autismo, já que em um dos tweets chamou os jogadores da modalidade de ‘nerds autistas’.

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Twitter

“Prezados autistas e familiares, depois de 48h sendo atacadas por nerds, eu perdi a cabeça e chamei eles de nerds autistas. Peço desculpas e agradeço a paciência e gentileza com que conversaram e me trataram! Vocês são especiais”, publicou.

Reprodução/Twitter

Em resposta a alguns seguidores, a conselheira do Flamengo fez questão de dizer que as desculpas não eram direcionadas aos jogadores de eSports. “ESports no CRF serei sempre contra! Lamento! Mas me desculpei com os autistas.”

Reprodução/Twitter

Confusão
Marion começou a confusão no sábado, após o perfil oficial de eSports do clube anunciar um reforço para a equipe de Lol. A conselheira publicou em seu Twitter que o Flamengo acabava de anunciar “um nerd da pior espécie”.

Outros tweets da conselheira do clube pediam que o Flamengo desse mais atenção ao futebol feminino e aos esportes olímpico e menos ao ‘símbolo do anti-esportes’, se referindo aos eSports.

Marion ainda disse que vai trabalhar para banir a modalidade do clube, já que ‘não se tratar de um esporte’.

“Um nerd que fica horas na frente de uma tela, praticando algo que não é atividade física nem cultural. Não é ao ar livre e não serve para nada. Ou seja, se eu falar “nerd autista da pior espécie” ficou mais claro, não?”, dizia um dos tweets.

O perfil oficial da conselheira do Flamengo foi desativado do Twitter. A nova conta tem publicações bloqueadas para não-seguidores.

Leia mais:
Ídolo da Fiorentina, Batistuta diz que teria feito mais de 200 gols no Real Madrid, mas que ‘ficaria entediado’