Após primeira rodada de negociações sem acordo, Flamengo quer ouvir as famílias das vítimas do Ninho do Urubu

A negociação entre o Flamengo e as famílias das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu segue. Após uma primeira rodada de negociações, rejeitada por Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, o Ministério Público Estadual e o Ministério Público do Trabalho, o clube mudará de estratégia. Agora, o Rubro-Negro quer ouvir o que cada cada grupo precisa. Outra reunião acontecerá nesta quinta-feira (21), às 14h, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A informação é do repórter Marcelo Baltar, do portal Globoesporte.com.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

A esperança dos advogados é que o caso não vá para os tribunais. Que acordos sejam obtidos na negociação pura e simples com os parentes. Os próprios profissionais do departamento jurídico do Flamengo creem que um acordo logo de primeira é difícil. Enquanto alguns podem desejar um valor à vista, outros podem desejar “salários” por mês e casas, por exemplo. Para eles, um acordo com familiares das vítimas do incêndio do Ninho do Urubu deve ser costurado em dez dias.

Em suas redes sociais, o clube postou sua posição diante das famílias das vítimas do incêndio no Ninho do Urubu:

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

Mais:

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

O incêndio no Ninho do Urubu causou comoção generalizada no Brasil e no mundo. Ocorrido no dia 08 de fevereiro, a tragédia vitimou dez garotos e feriu outros três. Até mesmo o Jogo das Estrelas do NBB teve homenagem ao ocorrido. O Vasco também fez uma homenagem.

LEIA MAIS
Vice-presidente de futebol do Flamengo desconversa sobre Arrascaeta: “Não vi a entrevista”
Com 35 mil ingressos já vendidos, Flamengo x Cabofriense terá operação especial do MetrôRio
Henrique Dourado comemora chegada de Abel Braga ao Flamengo: “Nos times dele os atacantes se sobressaem”