Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Maracanã sediou grandes decisões do futebol; veja dez finais que estremeceram o estádio

O Maracanã, o templo sagrado do futebol, já foi palco de grandes jogos. Dentre eles, grandes decisões que abalaram a estrutura do estádio e fizeram a alegria e tristeza de muitas torcidas. Jogos que ficarão eternizados na história de cada torcedor ou simplesmente daqueles que gostam do esporte.

Bruno Wang
Redator e Pós Graduado em Jornalismo Esportivo. Ama Futebol e o Esporte.Redator Sênior do Torcedores.comPara um pouco mais de mim, pode me escrever: Brunocom26@gmail.com

Crédito: Instagram Oficial Maracanã

Dez jogos, dez finais, dez histórias que vão eternizar o maior estádio do mundo. O Maracanã. Não em tamanho, hoje em dia, é verdade. Mas em tradição e história.

Veja dez finais que estremeceram o estádio:

Botafogo x Juventude (Final da Copa do Brasil 1999)

No último grande público do “velho”estádio, antes de ser reformulado para a estrutura que existe hoje, o Juventude levou a melhor sobre o alvinegro na final da Copa do Brasil de 1999, com um público de mais de 100.000 pessoas.

Para desespero dos cariocas, o título ficou com os gaúchos, que mantiveram um 0 a 0 heróico depois de vencerem a primeira partida do mata-mata.

Brasil x Uruguai (Final da Copa do Mundo de 1950)

Um dos maiores traumas do futebol brasileiro. O “Maracanazo”, referência para derrota brasileira na primeira Copa do Mundo sediada no Brasil para o Uruguai por 2 a 1.

Na final, tudo que o Brasil precisava era de um empate. Abriu o placar, mas tomou a virada. Lá em cima são 11 contra 11. Como o capitão uruguaio teria dito antes do jogo,  mais de 150.000 mil pessoas acabaram naquele que foi o silêncio mais alto do Maracanã.

Fantasma que só foi minimizado pela humilhante goleada em 2014 pela Alemanha no Mineirão.

Flamengo x Fluminense (Final do Carioca de 1995)

Essa decisão ficou marcada pelo gol de barriga de Renato Portalupipi, hoje treinador do Grêmio. No centenário do Flamengo, que precisava de um empate para garantir o título, o Fluminense abriu uma vantagem de 2 a 0. O rubro negro empatou com Romário e Fabinho. Título garantido?

Aos 42 minutos do segundo templo, uma bola chutada em direção ao gol do Flamengo se transformou na mais famosa “barrigada” do estádio. Um tricolor com nove jogadores em campo calou a torcida do Flamengo e levou a taça.

Brasil x Uruguai (Final da Copa América 1989)

Uma seleção desacreditada, que vinha de resultados ruins e de um jejum de 19 anos sem ganhar nada desde a Copa do Mundo de 1970 com Pelé, Jairzinho e cia. A edição ficou marcada pelo jogo contra a campeã mundial Argentina, num 2 a 0 que desmontou o time de Maradona.

A final foi contra o Uruguai, vítima do baixinho Romário, que com um gol de cabeça mandou a bola para as redes aos quatro minutos do segundo tempo da partida. Jejum encerrado.

Flamengo x Botafogo (Final do Campeonato Brasileiro 1992)

Com um Botafogo melhor no Campeonato e favorito para o título, o Flamengo levou o torneio no início da década, também com público recorde no Maracanã. Um 3 a 0 decisivo no primeiro jogo da final realizada em duas partidas e um empate em 2 a 2 consagraram o quarto título brasileiro rubro negro.

Uma imagem que ficará para história. O maestro Júnior, hoje comentarista da da rede “Globo”, pulando como um garoto da base ao abrir o placar no primeiro jogo.

Vasco x Corinthians (Final do Mundial de Clubes 2000)

Os paulistas levaram a melhor nos penaltis contra os cariocas. Destaque para o timão que segurou o Real Madrid e a vitória do Vasco sobre o Manchester United.

Em jogo difícil e disputado, o título ficou com quem errou menos.

Brasil x Espanha (Final da Copa das Confederações 2013)

Uma vitória com autoridade sobre uma Espanha campeã mundial em jogo que enganou muita gente para o que viria um ano depois. A partida foi de um time só, mas marcou a memória dos brasileiros.

Desde o começo do jogo a seleção não deixou a Espanha se impor. Nas oportunidades que teve, a zaga brasileira salvou. Foi o começo do fim da geração “tiki-taka”, que ainda teve um respiro no título da Eurocopa em 2012.

Botafogo x Vasco (Final do Campeonato Carioca de 2018)

A vitória heróica do Botafogo na final do campeonato carioca do  ano passado foi digna de enredo de filme. Com o time perdendo para o Vasco por 1 a 0, um gol de empate nos acréscimos do segundo tempo deu esperanças ao glorioso.

Resultado: decisão nas penalidades. No final Gatito, goleiro do Botafogo, praticamente deu o título ao Botafogo, dado pela torcida vascaína como já ganho.

FlamengoSantos (Final do Campeonato Brasileiro de 1983)

Maior público da história do Brasileirão, com mais de 140.000 pessoas no Maracanã. Foi um daqueles jogos épicos que marcaram a carreira de Zico. Logo após essa partida, foi para Itália jogar na Udinese.

O ídolo marcou um gol, deu assistência para outro e ajudou o Flamengo a derrubar o Santos com um sonoro 3 a 0. No jogo de ida, 2 a 1 para os paulistas. Virada Flamenguista.

Vasco x Palmeiras (Final do Campeonato Brasileiro de 1997)

Essa foi uma edição em que não ocorreram gols nas duas partidas finais, mas garantiu o título que daria ao Vasco a Libertadores do ano seguinte.

Foi a época de revelações e craques do Vasco surgirem, como Felipe e Pedrinho.

E de um Edmundo brilhante que depois iria para Fiorentina. Marcou história pela importância do clássico no Maracanã.

 

LEIA MAIS

DEJAN PETKOVIC: VEJA CINCO DECLARAÇÕES POLÊMICAS DO EX-JOGADOR

As melhores notícias de esportes, direto para você