Matheus Pereira não se importa com ‘falta de holofotes’ no Brasil e revela sondagem do Santos

O atacante Matheus Pereira, do Nuremberg, é mais um caso de atleta brasileiro que busca oportunidade fora do país antes mesmo de aparecer nos grandes centros. Em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, o jogador falou sobre o futebol europeu, a má fase do Nuremberg e revelou uma sondagem sem sucesso do Santos.

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/TV Nuremberg

Nascido em Belo Horizonte, o jogador chegou ao Sporting, de Portugal, em 2010, com apenas 14 anos, para iniciar sua formação profissional. Matheus Pereira fez toda sua carreira no clube de Lisboa e saiu para empréstimo apenas em 2017, quando disputou o Campeonato Português pelo Chaves.

Na temporada 2018/2019 mudou de ares e saiu do país, já que foi contratado pelo Nuremberg. A equipe não vem bem na Bundesliga e luta contra o rebaixamento.

“Houve agora uma mudança de comando [técnico], vamos ver no que vai acontecer. São desafios bem diferentes, tanto no Sporting, como no Chaves e agora na Alemanha. A pressão tem para todo lado, tanto é que houve a mudança de treinadores. O futebol alemão é mais pegado, sem muito espaço para jogar”, disse o jogador sobre a diferença entre os campeonatos.

Titular em todos os jogos de 2019, Matheus ainda não marcou pelo Nuremberg. Foram 11 partidas disputadas e uma assistência. O contrato de empréstimo acaba no fim da temporada e a tendência é que o jogador retorne ao Sporting, já que é considerado uma grande promessa em Portugal.

Veja a entrevista completa de Matheus Pereira ao Torcedores.com:

Como avalia sua participação na atual temporada do Nuremberg, já que a equipe é irregular e atualmente luta contra o rebaixamento?
Avalio como positiva, claro que os resultados não estão sendo os melhores, mas acredito que tenho me adaptado bem. Consegui uma evolução boa. Comecei no banco de reservas, mas depois fui conquistando meu espaço e hoje estou tendo uma sequência muito boa de minutos na Bundesliga.

O Nuremberg foi eliminada da Copa da Alemanha e você mais uma vez foi titular. As chances tem aparecido, mas os resultados da equipe não. O que a equipe precisa fazer para melhorar e voltar a vencer?
Temos trabalhado forte para conseguir reverter a situação. Houve uma mudança de comando e vamos ver no que acontece daqui para a frente. Temos feitos boas partidas, mas vejo em algumas situações um pouco de falta de sorte também. Vamos lutar e acredito que podemos escapar da zona de rebaixamento.

Você saiu muito cedo para o futebol europeu e não construiu história no Brasil. Como é ficar “longe dos holofotes” de seu país natal?
Hoje, Portugal também é meu país natal. Fiz toda a formação lá. Cresci neste país e em breve terei minha dupla nacionalidade, então acredito que meu “holofote” é aqui.

Pensa em um dia voltar a jogar no futebol brasileiro? Felipe Pires, jogador com história semelhante, acaba de retornar para atuar pelo Palmeiras. Tem o desejo de voltar ao país ou pretende ficar na Europa?
Já recebi uma sondagem do Santos sim, numa oportunidade anterior, mas não deu certo. De qualquer forma tudo está nos planos de Deus. Se tiver que jogar no Brasil, jogarei com o maior prazer. Gosto é de jogar, não importa o lugar.

Leia mais:
Ralf lamenta erros do sistema defensivo do Corinthians: “não dá para ficar perdendo jogo bobo”