Egoísmo de Bale foi o motivo do começo das brigas entre ex-técnico e presidente do Real Madrid

Atualmente no Napoli, Carlo Ancelotti é um dos técnicos que passou pelo Real Madrid durante a segunda era Florentino Pérez. O atual presidente merengue é muito conhecido por contratar jogadores muito conhecidos da grande mídia. O dirigente, porém, também é acusado de ser personalista demais. O técnico italiano é um dos que guarda algum rancor do mandatário do atual tricampeão mundial de futebol.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

Em entrevista ao portal Il Napolista, Carlo Ancelotti contou como surgiram suas rusgas com Florentino Pérez. Tudo passa, de acordo com ele, pelo nome de um jogador: Gareth Bale. Ao substituí-lo, em uma partida contra o Valencia, ele ouviu muitas críticas do presidente do Real Madrid. Na opinião do italiano, o atleta galês teve excesso de egoísmo durante a partida. Algo que o mandatário merengue não gostou.

“Para mim, altruísmo é um fator importante em um grupo. Se tem uma coisa que me deixa louco é egoísmo em campo. Quando um jogador tem que passar a bola e não faz isso, por exemplo. Sei que paguei por isso pessoalmente. Quando estava no Real Madrid, o que me fez começar a discutir com Florentino Pérez foi uma substituição. Na ocasião, tirei Gareth Bale de uma partida. Ele tinha que passar a bola para Karim Benzema, que fatalmente marcaria com o gol aberto. Em vez disso, ele chutou. Naquele instante eu o tirei de campo”, afirmou.

Tempos depois, ele mesmo tentou dar um outro panorama para seu pensamento. “Para um atacante, talvez, excesso de altruísmo é uma limitação. Um pouco de egoísmo também funciona, por vezes. Entretanto, isso não pode ser exagerado”, concluiu.

LEIA MAIS
Amigo de jogador do Real Madrid dispara contra técnico do time: “Assassino do futebol”
Sem alarde, Real Madrid chega em Abu Dhabi para a disputa do Mundial de Clubes; hotel tem café que custa R$ 50
Técnico do Real Madrid cutuca Casemiro em coletiva: “Ninguém é titular por ter nome X”