Vítima de incêndio no CT do Flamengo era agenciada por Sávio; empresa de ídolo do clube se pronunciou

Uma das vítimas do incêndio que atingiu o CT das divisões de base do Flamengo na manhã desta sexta-feira (8) tinha uma ligação ainda mais forte com o clube. Vitor Isaías, o Vitinho, era agenciado pela empresa Sávio Soccer, que pertence ao ex-jogador Sávio, ídolo rubro-negro.

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução

O atleta de 15 anos era de Florianópolis e chegou ao clube carioca em agosto de 2018, levado por Sávio. A empresa Sávio Soccer soltou uma nota lamentando a morte de Vitinho, veja:

“A empresa Sávio Soccer vem através deste, manifestar seu profundo pesar com a tragédia ocorrida na manhã desta sexta-feira (08), no Centro de Treinamento do Flamengo, onde acabou vitimando o nosso atleta Vitor Isaías (Vitinho), de 15 anos.

Aproveitamos também para informar que a empresa está prestando todo o suporte necessário aos familiares no sentido de minimizar a dor causada por essa perda irreparável.

Pedimos respeito e compreensão de todos neste momento de luto e nos solidarizamos com os demais familiares e amigos desses jovens atletas que lutavam para alcançar o sonho de ser um jogador de futebol profissional.

Sobre Vitor Isaias:

Natural de Florianópolis, Vitor, que era atacante, iniciou sua trajetória no futsal da APAFF (Associação dos Pais e Atletas de Futsal) e na sequência migrou para o campo passando a atuar pelo Atlético Paranaense até ser contratado para reforçar as categorias de base do Flamengo em agosto de 2018.”

Incêndio
O fogo atingiu o CT do Ninho do Urubu por volta das 5h e os bombeiros foram chamados poucos minutos depois. Dez pessoas morreram e três ficaram feridas, uma delas em estado grave.

Seis mortos já foram confirmados, todos jogadores da base do clube com idade entre 14 e 17 anos. São eles: Athila Paixão, Arthur Vinícius de Barros, Silva Freitas, Bernardo Pisetta, Christian Esmério, Pablo Henrique da Silva Matos, Vitor Isaías.

Leia mais:
Patrícia Amorim diz que prioridade é salvar os três jovens que seguem feridos