Ex-presidente do Real revela proposta do Barcelona para contratar CR7: “Ofereceu condições superiores às nossas”

CR7 fez história com a camisa do Real Madrid, clube no qual defendeu por quase 10 anos. Mas tudo poderia ter sido diferente, já que o português foi procurado pelo maior rival dos merengues quando estava no Manchester United: o Barcelona.

Rogério Araujo
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Site Oficial do Real Madrid

Quem revelou os detalhes foi o ex-presidente do Real, Ramón Calderón, em entrevista ao jornal “A Bola”. Ao ser questionado se o Barcelona havia se intrometido na negociação para tentar tirar o jogador do clube inglês, o ex-presidente afirmou que sim.

“Efetivamente, ofereceu condições superiores às nossas, creio que eram 10 milhões de euros mais. Recordo que o vice-presidente do Barça chegou a dizer numa conferencia de imprensa que Cristiano não iria para o Real Madrid, mas então foi a vez do jogador ser perentório afirmando que só trocaria o Manchester pelo Real”, revelou Calderón.

O Ex-mandatário ainda contou os bastidores da contratação do camisa 7.

“Os dois melhores do mundo eram ele e Messi. Sabíamos que Messi era impossível e que Cristiano podia ter algum interesse em vir para o Real Madrid. Através de Jorge Mendes, cuja atuação foi fundamental, eu e o Pedja Mijatovic, que era o diretor esportivo, iniciamos negociações. Tive de falar várias vezes com David Gill, que era então quem mais mandava no Manchester e, finalmente, com muita paciência e com a indispensável ajuda do jogador, conseguimos o nosso objetivo. No último contrato que ele assinou, figurava uma cláusula segundo a qual o clube inglês se comprometia a vender o seu passe ao Real Madrid se este apresentasse uma proposta de compra de 80 milhões de libras – 94 milhões de euros – e assim acabou por ser”, afirmou.

“A chegada de Cristiano estava prevista para o verão de 2008, mas atrasou-se um ano. Estando eu em Bogotá recebi uma chamada sua pedindo-me desculpa e a informar-me que tinha renovado com o Manchester United mas com a condição de poder sair no início da temporada seguinte. O jogador tinha assumido esse compromisso com Alex Ferguson, que considerava como seu segundo pai. Nós compreendemos a situação. Mesmo tendo de esperar não podíamos deixar passar essa grande oportunidade e, em dezembro de 2008, assinamos todos os contratos ficando consumada a que então passou a ser a transferência mais alta da história do futebol”, completou.

CR7 chegou ao Real Madrid em 2009, já como estrela do futebol mundial e um título da Liga dos Campeões, competição que ele conquistou outras quatro vezes com o time espanhol.

LEIA MAIS:

CRISTIANO RONALDO PODE IGUALAR NOVO RECORDE CASO VENÇA A LIGA DOS CAMPEÕES ESTE ANO

ENQUETE: QUAL O JOGO MAIS DIFÍCIL DAS QUARTAS DE FINAL DA CHAMPIONS LEAGUE?