Ex-São Paulo, Régis desabafa sobre problemas com drogas e álcool: “Joguei tudo fora por momentos de ilusão”

O lateral Régis, que está no CSA, de Alagoas, foi notícia nos principais jornais esportivos nesta semana, após se envolver em uma confusão em um Motel por estar supostamente embriagado. O jogador teve seu vínculo com o clube alagoano encerrado e agora retornou ao São Bento, onde se destacou e chamou atenção do São Paulo na temporada passada.

Danielle Barbosa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Rubens Chiri/São Paulo

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Em entrevista ao Esporte Fantástico, da Record, o jogador fez um forte dasabafo sobre o problemas com drogas e álcool e lamentou a chance desperdiçada no São Paulo.

Me sinto ferido, me sinto constrangido, porque eu tinha tudo nas minhas mãos. Eu tinha a maior oportunidade da minha vida. Eu tinha pessoas que estavam me blindando de todas as formas. E, por coisas ilusórias e mentirosas, porque a gente sabe que o problema com os vícios são ilusões, eu joguei tudo isso fora por momentos de ilusão”, lamentou.

O jogador ainda relembrou a passagem pelo Tricolor. “Desde quando me contrataram, eles sabiam dos problemas que eu tive. Eles me deram toda estrutura. Fica a decepção por não ter aproveitado tudo aquilo que eles me deram“, acrescentou.

Régis também falou sobre sua curta passagem pelo CSA no início desta temporada, onde estava se destacando como um atacante de velocidade pelo lado do campo. Após a polêmica do final de semana, acabou tendo seu contrato rescindido.“

Eu cheguei completamente desestruturado emocionalmente, porque sair do São Paulo da forma como eu saí. Tive problemas dentro do meu relacionamento (o jogador se divorciou). Eu não tinha a menor capacidade de me equilibrar naquele momento, porque primeiro toda a exposição foi muito grande. Quando vi que a minha imagem foi manchada por aquela situação, eu não tive estrutura nenhuma”, afirmou.

O lateral ainda revelou que o filho já chegou a vê-lo drogado. “A gente sabe que entre 7, 8 anos, a criança tá começando a formar o seu caráter, suas opiniões, e, em alguns momentos, ele me viu naquela situação, mas eu creio que a mãe dele soube administrar essa situação. Hoje, eu converso muito com ele, para tranquilizá-lo“, disse o jogador.

LEIA MAIS:
Maradona faz desabafo sobre o vício: “Me julgam por meu passado, mas também têm os bolsos cheios de cocaína”