Filme conta a história do Santos, o time que mais fez gols no futebol

12.542 gols. O Santos é o time mais artilheiro da história do futebol. Agora, esse “DNA ofensivo” foi transformado em filme, que será lançado em abril nos cinemas de todo o país.

Adriano Oliveira
Colaborador do Torcedores

Foto: Site oficial Santos FC

Com estreia marcada para 18 de abril, o filme “Santos de Todos os Gols” pretende contar histórias emblemáticas vividas dentro do Santos Futebol Clube, o time que mais fez gols até hoje na história do futebol mundial. Produzido pela Canal Azul e com direção de Lina Chamie, o filme aborda a trajetória dos mais de 12.500 gols, a partir de episódios marcantes de várias épocas e também de relatos de personagens e jogadores consagrados que já vestiram a camisa do clube, como Pelé, Pepe, Serginho Chulapa, Giovanni, Elano, Robinho, Ricardo Oliveira e Coutinho (falecido nesta semana), além de torcedores ilustres, entre eles o músico Zeca Baleiro e a jornalista Mônica Waldvogel.

Raras vezes eu olhava para o placar e estava 0 x 0 (…) Eu rezava para que Deus cuidasse de nós, que ninguém se machucasse, mas que não deixasse o jogo terminar 0 x 0. Se tivesse que empatar, que fosse de 4 x 4, 5 x 5…” A declaração é de Pelé, o Rei do Futebol, autor de 1.281 gols na carreira, dos quais 1.091 pelo time da Vila Belmiro.

Este é o segundo trabalho da diretora e roteirista Lina Chamie sobre o Santos. Ela também dirigiu “Santos – 100 Anos de Futebol Arte”, filme oficial do centenário do clube, lançado em abril de 2012 e que também ficou em cartaz no cinema.

O documentário faz parte da parceria entre a Elo Company e a rede Cinemark, denominada “Projeta as 7”, e será exibido a partir de 18/04, de segunda a sexta, sempre as 19h, em 20 salas de cinema espalhadas por 19 cidades do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Aracaju, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Goiânia, Londrina, Natal, Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Salvador, Santos, São José dos Campos e Vitória. O preço do ingresso é R$ 12.

O DNA ofensivo, espécie de marca registrada do estilo de jogo do Santos em toda sua história, foi um dos motivos que levou Jorge Sampaoli a aceitar o convite para ser treinador da equipe, em dezembro do ano passado. Em sua primeira entrevista coletiva, o técnico argentino afirmou: “Espero que eu esteja à altura da história do clube. Depois da seleção argentina, passei a buscar um lugar onde tivesse a ver com minha história no futebol (…) Desfrutar do jogo, protagonizar o jogo, fazer com que cada jogador do Santos tenha claro o lugar onde está (…) O motivo para desenvolver meu projeto, é o gosto do torcedor do Santos e minha maneira de jogar: para frente”.

LEIA MAIS

Opinião: Santos, Sampaoli e o DNA ofensivo

Há três anos, Gabigol fazia gol 12 mil com goleada na Vila; relembre