Ex-jogador da base do São Paulo se destaca na Europa e conta como é jogar na Suécia

Paulo Marcelo é mais um dos jovens jogadores que tentam a sorte no futebol europeu. Começou no sub-17 do São Paulo, ficou no Sub-20 e depois foi emprestado para o time profissional do São Bernardo. Ficou duas temporadas, até ser encaminhado para o Sampaio Correa. Em 2017 tentou a sorte no futebol da Europa, indo para o IFK da Suécia, onde permanece até hoje.

Otávio Silva
Colaborador do Torcedores.com que ama o futebol gaúcho.

Crédito: Divulgação/IFK

“Comecei minha carreira no São Paulo.  Alojei em Cotia dos 13 até os 18 anos, quase seis anos de São Paulo. Depois fui para o São Bernardo e Sampaio. Não cheguei a trabalhar em outra área além do futebol, porque fui muito cedo para o São Paulo. Com 12 anos eu já estava sendo monitorado. O clube que é o melhor do país em cuidar do atleta”, afirmou o jogador ao ser perguntado sobre o início de carreira.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva

A temporada anterior foi de reconhecimento de como é praticado o futebol local e também da cultura do país, infelizmente dentro de campo as coisas não ocorreram como planejado. Seu time acabou sendo rebaixado para a terceira divisão do país, está em processo de recuperação e está se preparando para a próxima temporada. “Ano passado eu tive minha lesão e infelizmente acabou prejudicando um pouco a minha adaptação aqui. Este ano comecei com a confiança do treinador e muito bem, sou inclusive o vice-capitão da equipe. Acredito que vamos colher bons frutos este ano e atingir nossos objetivos que são bem grandes e ambiciosos”.

Ele ainda complementou dizendo que: “está sendo montado um elenco jovem e ainda está em formação. O campeonato começa em abril, a gente já está disputando a Copa da Suécia, mas o principal é o campeonato nacional. A expectativa é voltar para a segunda divisão, e ser campeão. Aqui é muito difícil, porque só sobe o primeiro colocado dos grupos e os segundos colocados disputam um play-off com os da segunda divisão. Estamos criando um elenco muito forte”.

Mas antes de ir para a fria Suécia o jogador teve uma passagem por um grande clube do futebol brasileiro, onde chegou a atuar na Série B do Brasileirão. Em 2016 Paulo Marcelo vestiu a camisa do Sampaio Corrêa, clube conhecido como Bolívia Querida. “A passagem pelo Sampaio foi muito rápida, mas eu pude atuar com jogadores de alto nível. Joguei também um jogo da Copa do Brasil contra o Figueirense. Isto para mim foi muito importante, porque pude me redescobrir como atleta. Tive um bom treinador lá que era o Wagner Lopes. Foi muito produtiva minha ida para lá e foi de grande valia para o meu futebol”, afirmou o jogador.

A dificuldade com o idioma e a cultura do país também são fatores que no início podem dificultar a vida dos atletas, além do mais a maneira de jogar também é bem diferente. O atleta comentou essas diferenças e semelhanças como o futebol brasileiro. “É um clube pequeno, mas que tem uma boa estrutura, nos oferece tudo que a gente precisa. Eles cumprem com todas as obrigações. É um futebol bem diferente do futebol brasileiro, talvez tecnicamente e individualmente os atletas brasileiros tenham mais qualidade, mas na parte tática aqui é mais evoluído. É um futebol muito mais rápido, muito mais corrido. É pressão alta sempre, os treinadores cobram isso. Você realmente tem que entender o futebol. Graças a Deus eu me adaptei rápido e estou feliz aqui”.

Ele ainda usa como exemplo um grande astro do futebol mundial para descrever as suas características no futebol. Salienta que esses pontos são parecidos, mas brinca dizendo que a qualidade não é a mesma. “Meus amigos brincam que eu tenho as mesmas características do Benzema, claro que ele é mais habilidoso, mas pela parte de gostar de jogar no toque, de ser inteligente para jogar e de se movimentar dentro de campo. Além de não ser aquele centroavante que fica mais estático. Principal característica é a finalização, com as duas pernas, com a presença dentro da área. Meu ídolo é o Ronaldo, mas hoje em dia em atividade eu acredito que seja o Benzema, seria um sonho jogar com ele”, disse Paulo.

Paulo que atua como atacante e também comentou sobre o duelo contra seus adversários. Além do mais, apontou quais foram os mais duros zagueiros que enfrentou ao longo da sua vida no futebol. “Na verdade não foi durante um jogo, mas sim durante um treino. A Seleção estava no CT de Cotia, fizeram uma reunião e pediram alguns atletas para nosso diretor da base e o mais novo dos indicados era eu. Foi um dia inesquecível na minha vida”, comentou Paulo

O jogador ainda conta um fator curioso com o atual craque do PSG. “Neste dia teve até um fator engraçado. A gente fez um bobinho, no circulo do meio de campo. Estava eu, o Neymar e o Lucas, que atualmente está no Tottenham. Estava do lado tentando me enturmar e nisso o David Luiz deu um chute forte, fui tentar dominar e acabei errando. Ai o Neymar olhou para mim é disse: vê se para de errar moleque. Foi um dia marcante na minha vida.”

Para finalizar ele comentou sobre seu principal sonho no esporte, além de contar como é um pouco do contato entre ele e os torcedores locais.  “O contato com os torcedores é muito bom, talvez por ser uma cidade muito pequena. Eu sou uma pessoa que gosta de brincar, sempre estou alegre nos treinos e os torcedores sempre vão assistir e a gente fica dando risada. Alguns me chamam de Paolo, porque não conseguem falar Paulo. É sempre muito boa a recepção dele com os brasileiros”, completou.

Saiba mais:

Destaque do Vitória, meia Andrigo fala sobre bons momentos no time baiano