Jogador do Goiás diz que gostava de mexer com tráfico de drogas e revela: “Tentaram me matar seis vezes”

O atacante Michael tem sido um dos principais destaques do Goiás neste início de temporada, e já soma cinco gols em 12 jogos disputados até o momento. Mas a carreira do jogador de 23 anos já teve muitos altos e baixos e no extra-campo, o atleta do Goiás chegou a ter problemas com o tráfico de drogas.

Danielle Barbosa
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/Goiás

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Em entrevista à Rádio Sagres, de Goiânia, Michael falou sobre os problemas extra-campo que enfrentou e quase atrapalhou sua carreira. “Eu gostava de mexer com tráfico, gostava só de coisa errada. Depois da sexta vez que tentaram me matar, Deus disse para mim ‘chega, né?’. Fui para a igreja e uma mulher disse tudo o que aconteceu na minha vida. Falei que se Deus for bom, ele vai ter misericórdia de mim“, disse.

Tentaram me matar seis vezes. Eu era muito brigão no terrão, sempre fui custoso, ‘galudinho’. Também era por tráfico. Acabei vendendo droga, acabei fumando e acabei roubando. Fiz muitas coisas e não tenho orgulho. Não tenho orgulho, não. Mas foram coisas que aconteceram na minha vida e eu peço perdão“, acrescentou o atacante.

O jogador do Goiás revelou ainda como entrou no mundo das drogas, mas destacou a importância de reconhecer o erro e trabalhar para que eles não se repitam novamente. “Era vício. Eu fumava e bebia por vício. Não era para amenizar nada. Era tomado pelo diabo. Era sem-vergonhice, safadeza mesmo. Eu entrei nas drogas por isso.

Meu pai sempre trabalhou e me deu tudo que podia, não o que eu queria. Eu entrei por vagabundagem, safadeza. Eu não precisava, mas a maioria das pessoas não precisa. Faz por vagabundagem mesmo. Eu, hoje, dou valor ao meu pai e mãe. Errei, mas o importante é tomar uma atitude e parar”, completou.

LEIA MAIS:
Ex-São Paulo, Régis desabafa sobre problemas com drogas e álcool: “Joguei tudo fora por momentos de ilusão”