Visão do repórter: Levir escala mal, Galo sofre revés inesperado e noite termina com vaias merecidas

Nas preliminares da Copa Libertadores, o Atlético já dava sinais que precisaria de alguns ajustes. Não por acaso, diante do Danubio e do Defensor, principalmente nos jogos da volta, a equipe ficou abaixo do esperado. Apesar disso, a expectativa do atleticano para a fase de grupos era a melhor possível e, não por acaso, lotou o Mineirão para o embate diante do Cerro Porteño, esperando uma vitória e os primeiros três pontos.

Ramon Lopes
Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.

Crédito: Bruno Cantini/CAM/divulgação

Antes da bola rolar, Levir confirmou sua teimosia em entrar com uma equipe mais conservadora, com três volantes. A princípio, o esquema parecia funcionar e logo nos primeiros minutos, Elias perdeu a primeira chance de abrir o placar. Com muita vontade e pouca organização, o Galo conseguiu criar boas oportunidades. Contudo, também deu espaços ao Cerro Porteño, que  foi ao ataque e levou perigo a Victor.

Com o passar do tempo e a igualdade no marcador, o Atlético se desorganizou de vez. O time de Levir errou passes bobos, demonstrando nervosismo, fato que irritou os torcedores. Na segunda etapa, o cenário ficou propenso para o que o Cerro queria: jogar por uma bola, no erro do adversário. E foi justamente isso que aconteceu, quando Diego Churín, em posição irregular, fez o tento da vitória paraguaia.

Antes mesmo da abertura do placar, o Galo ainda teve chance, em um lance que começou nos pés do sempre criticado, Patric. O lateral acertou um belo cruzamento, mas Ricardo Oliveira, em noite pouco inspirada, perdeu um gol que não costuma perder.

Mesmo com a desorganização atleticana, Cazares se destoou dos demais. Apresentando-se para o jogo e criando ótimas jogadas, o equatoriano foi o ‘motorzinho’ da equipe em boa parte do duelo contra o Cerro. Foi o dono das bolas paradas e também dos chutes de longa distância. Apesar disso, não conseguiu, sozinho, reverter a lambança feita por Levir na escalação, tão pouco salvar a noite pouco inspirada do time atleticano.

Na saída do gramado, muitas vaias, mais do que merecidas aos jogadores e também ao técnico Levir Culpi, além de terem ocorrido no momento exato, já que durante a partida, mesmo com a irritação em determinados momentos, a massa atleticana fez a a sua parte.

Vídeo: Ramon Lopes/Torcedores.com

Vídeo: Ramon Lopes/Torcedores.com

LEIA MAIS:

ATLÉTICO X CERRO PORTEÑO: CONFIRA AS MOVIMENTAÇÕES DO JOGO DA LIBERTADORES DIRETO DO MINEIRÃO