Levir tem pior aproveitamento entre os técnicos que dirigiram o Atlético na Libertadores nesta década

O Atlético vive um momento turbulento após as duras derrotas no Grupo E da Copa Libertadores da América, que fizeram Levir Culpi balançar no cargo. Antes prestigiado, o comandante do Galo sofre grande pressão, que começou após a mudança tática na equipe e a escolha por um esquema com três volantes. Para piorar a situação, se por um lado, o técnico é o que mais dirigiu o Alvinegro na competição sul-americana, por outro, tem o pior desempenho entre os treinadores do clube nesta década.

Ramon Lopes
Foi editor do semanário BolanoBarbante, apaixonado por esportes, entusiasta das corridas de rua e dos jogos de tênis.

Crédito: Bruno Cantini/CAM/divulgação

O desempenho de Levir Culpi neste momento é de 42,2% entre os treinadores que dirigiram o Atlético em Libertadores nesta década com 5 vitórias, 4 empates e 6 derrotas. Rendimento abaixo de Cuca (69%), Diego Aguirre (66,7%), Roger Machado (61,9%), Paulo Autuori (57,1%) e Rogério Micale (50%).

Prova de fogo

Agora, o Atlético só volta a campo pela Libertadores no próximo dia 3 de abril, no duelo contra o Zamora, da Venezuela, em Belo Horizonte. Porém, até lá, Levir Culpi terá um verdadeiro teste, pois o Galo possui jogos importantes, como no próximo domingo (17), contra o América, que vale a liderança do Mineiro, como também as quartas de finais do estadual, que acontece no dia 24 (domingo), em partida única.

Assumindo a hipótese de sucesso do Atlético no primeiro duelo do mata-mata, os jogos das semifinais intercalariam o embate contra o Zamora (03/04 – quarta-feira) , pela terceira rodada do Grupo E da Copa Libertadores, já que a princípio estão marcados para os dias 31/3 e 07/04, ambos no domingo.

Mudanças

Mesmo com o baixo rendimento desde a alteração no esquema tático, o técnico Levir Culpi não parece assinalar que irá fazer nova modificação, ou pelo menos, quando se pensa em mudanças radicais.

“A falta de gols me preocupa, porque você perdeu a linha dos números. Não mexemos muitas coisas assim. Temos que repetir as coisas que fizemos acertadamente. Se a cada momento ruim eu começar a mexer no time, nunca vai dar certo”, analisou Levir Culpi.

O fato é que, a partir do momento em que o técnico do Galo optou por escalar o time com três volantes, seus comandados não fizeram mais gols na Libertadores. O esquema foi adotado pela primeira vez na partida da volta pela terceira rodada da fase preliminar do torneio mais importantes da América e, até o momento, o Alvinegro tem o péssimo aproveitamento de um empate e duas derrotas.

LEIA MAIS:

LEVIR ANALISA SITUAÇÃO DO ATLÉTICO APÓS DERROTAS PARA O CERRO E NACIONAL