Basquete

Opinião: cinco fatos que fizeram Michael Jordan um gênio do Basquete

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Divulgação/Twitter NBA Brasil

Michael Jordan marcou uma geração e é referência até os dias de hoje no basquete mundial. O ex-jogador do Chicago Bulls se tornou uma lenda que transcende o jogo e é considerado, quase de forma unânime, o maior jogador da história do esporte. Com sua língua pra fora e dribles desconcertantes, MJ consolidou de vez a NBA como uma grande liga nos Estados Unidos.

Seis títulos, cinco vezes MVP, seis vezes MVP das finais e entre outros diversos prêmios individuais e coletivos. Tudo isso prova o valor de Jordan e toda sua capacidade dentro de quadra.

Veja cinco fatos que provam o quanto Michael Jordan foi um gênio do basquete:

1- Habilidade atlética 

Muitas vezes o físico e habilidade atlética de um jogador são itens subestimados. Para acompanhar um grande talento, é necessário trabalho, preparação e imposição física. Antes de ser alguém de grande talento, Michael Jordan era um atleta que se sobrepunha aos seus adversários em relação ao seu físico apurado.

Com muita elasticidade, velocidade e capacidade de realizar grandes movimentos, MJ conseguia tudo isso através de sua grande habilidade atlética.

2- Exímio defensor 

Jordan foi o defensor do ano na NBA em 1988. Além disso, ele esteve por 9X no time de defesa da temporada, feito que poucos na história conseguem alcançar.

Isso prova que ele era mais que um pontuador nato e um super jogador ofensivo. Michael conseguia equilibrar sua força no ataque e na defesa, quesito crucial para ser um grande jogador. Em um esporte como o basquete, é indispensável saber jogar dos dois lados da quadra.

3- Decisivo 

Há inúmeros jogos que MJ resolveu de alguma forma. Ele provavelmente é o jogador mais decisivo da história do esporte, com jogadas que marcaram sua carreira. Se mostrando alguém praticamente imarcável, o ex-camisa 23 dos Bulls venceu seis títulos e é o quinto maior cestinha da história da NBA.

O momento mais marcante que prova o quanto Jordan era decisivo foi no jogo 6 das finais de 1998, contra o Utah Jazz de Karl Malone. Gripado, o jogador de Chicago driblou o marcador e anotou a cesta do hexa dos Bulls.

4- Venceu entre gigantes 

Michael Jordan precisou perder alguns anos para poder, enfim, chegar ao topo. Ele venceu MVP, prêmio calouro do ano e de melhor defensor em uma temporada. Porém, por muito tempo, estava faltando o principal: o anel de campeão.

Após ser derrotado por vários anos pelo Detroit Pistons dos ‘Bad Boys’ comandados por Isiah Thomas, Jordan finalmente conseguiu vencer o título em 1991. Para isso, ele precisou superar jogadores como Karl Malone, Charles Barkley, Hakeem Olajuwon, Clyde Drexler, Patrick Ewing e os próprios Bad Boys de Detroit.

5- Mudou a história da liga

Por muito tempo a NBA não conseguiu se estabilizar como uma grande liga nos Estados Unidos. Seja por preconceito ou apenas por não cair no gosto do público, o fato é que a liga dependeu que grandes jogadores pudessem transformar os rumos das coisas.

Na década de 80, a rivalidade Larry Bird-Magic Johnson e Celtis-Lakers impulsionou a audiência e atraiu mais público para a NBA. Mas foi apenas com Jordan na década de 90 que a liga realmente se tornou um grande produto no país.

Portanto, se a liga é o que é hoje, muito se deve a consolidação que MJ trouxe em 90 com seu jogo atrativo e cheio de repertório. Michael Jordan definitivamente é uma lenda do esporte.

LEIA MAIS:

Grupo do Brasil no Mundial de Basquete tem Grécia de Giannis Antetokounmpo