Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

No Corinthians, Sornoza relembra início no futebol: “Eu era goleiro”

Na noite desta terça-feira (19), o meia Junior Sornoza, do Corinthians, concedeu entrevista ao programa Nossa Área, da Rádio Bandeirantes. No time paulista desde o início desta temporada, o equatoriano vem se destacando. Em 12 jogos disputados pela equipe, ele já distribuiu sete assistências, sendo o líder do time nesse quesito. Em meio à boa fase, Sornoza revelou durante a conversa já ter sido goleiro no início. Além disso, citou algumas dificuldades na adaptação ao Brasil e destacou suas preferências em campo, entre vários outros temas.

Felipe Gomes da Costa
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/Twitter

 

Sornoza e o início de um sonho

 

Sornoza descreveu durante a entrevista o início do sonho de se tornar um jogador de futebol. Tudo começou na cidade equatoriana de Portoviejo.

“Eu comecei muito pequeno. Acho que eu tinha 9 ou 10 anos. Era uma escola lá em Portoviejo, onde eu morava. Meu pai sempre me levava e eu comecei”, relatou.

O jogador ainda mostra todo o apoio dado pelo pai.

“Me coloquei muitas metas para ser um grande jogador. E meu pai foi um cara que sempre esteve aí comigo, apoiando. E agora sou um cara muito grato por ele, por tudo o que ele me ajudou”, exaltou.

O equatoriano relata também todas as posições em que atuou até se descobrir meia.

“Eu era goleiro, lateral-direito e aí fui para a ponta, mas não funcionou. Depois virei meia e graças a Deus deu certo”, contou.

 

Adaptação

 

Processo comum na vida de quem opta por morar em outro país, o meia ressaltou todas as dificuldades na adaptação ao Brasil.

“Uma cidade nova para mim, para meus filhos, para minha mulher… Então eu tinha que estar com minha cabeça aqui, mas também com eles lá em casa, porque não sabia o que estava acontecendo. Mas graças a Deus a gente está  se adaptando da melhor maneira para que meus filhos possam ir para a escola e estar tudo cem por cento”, confessou.

 

Principais características

 

O equatoriano elencou suas principais características, ressaltando sua qualidade no passe.

“Eu particularmente sou um cara que gosta de deixar meu companheiro para que ele possa fazer o gol. E todos aqui estamos para ajudar o time”, disse.

Além disso, o meia destacou sua preferência em atuar centralizado, pois se sente mais à vontade em ajudar a equipe.

“Pelo meio eu gosto um pouco mais. Porque deixo meus companheiros frente ao gol, deixo uma jogada perigosa para a equipe rival. Então para mim é muito mais fácil jogar pelo meio que pelos lados. Porque não sou um jogador rápido como outros caras que são dribladores”, salientou.

 

Boa fase

 

Líder de assistências do Corinthians na temporada, Sornoza passa por bom momento no futebol paulista. O jogador comentou sobre a fase.

“Estou em uma fase muito boa, ajudando meus companheiros com assistências. Minha mentalidade também é fazer gol, porque assim eu me sinto muito bem dentro do campo”, analisou.

O meia ainda visou o futuro, desejando que as coisas continuem funcionando bem.

“Poder ajudar a todos os meus companheiros, poder ajudar a equipe toda. E espero continuar trabalhando. Continuar com a mesma pegada para poder fazer grandes jogos”, garantiu.

 

Ansiedade e pressão

 

Como nem tudo é perfeito, o período de destaque do equatoriano também tem suas pendências. Ele ainda luta por seu primeiro gol, mas também comparou sua situação com a do atacante Boselli. O argentino também persegue o primeiro tento.

“Estou um pouco ansioso, porque eu gosto de fazer gol. Mesmo o Boselli também está um pouco ansioso. Eu falei com ele. E falei para que fique tranquilo e calmo, porque a hora vai chegar. Na hora certa ele vai nos ajudar e vai ajudar todo o time”, confessou.

Mesmo com a ausência de gol, Sornoza garante que gosta da pressão.

“Eu gosto do desafio, gosto de pressão. Estou muito feliz, na verdade. Espero continuar ajudando toda minha equipe, dando muita alegria a toda essa torcida que sempre está nos apoiando no estádio”.

Por fim, ele ainda mostra seu foco.

“Foi para isso que eu vim. Para ajudar e fazer muitos gols, porque essa é minha mentalidade”, declarou.

 

Inspiração

 

Para finalizar a conversa, o meia corintiano analisou uma de suas maiores virtudes, que é a qualidade nas bolas paradas. Em escanteios, o equatoriano é especialista em achar companheiros bem colocados, colecionando assistências.

Além disso, sua potente cobrança de falta também chama a atenção. Para se aperfeiçoar nesse quesito, Sornoza revelou sua inspiração.

“Quando o Riquelme jogava, eu olhava muito como ele batia na bola”, confessou.

 

Sornoza no Brasil

 

Em 2016, Junior Sornoza foi um dos destaques na temporada histórica do Independiente del Valle, do Equador. Na ocasião, o clube chegou à final da Libertadores, quando perdeu para o colombiano Atlético Nacional.

Com seis gols e quatro assistências em 16 partidas realizadas na competição sul-americana, Sornoza chamou a atenção de vários clubes. Entre eles, estava o Fluminense, que fechou sua contratação por cerca de R$ 12 milhões.

Na equipe carioca, onde acumulou altos e baixos, o meia atuou entre 2017 e 2018. Ele disputou 98 partidas e anotou 10 gols. No fim da última temporada, Sornoza perdeu espaço, o que motivou o interesse do Corinthians, seu atual clube.

Após longas conversas, que envolviam possíveis inclusões de jogadores na negociação, finalmente o clube paulista oficializou a contratação do equatoriano por pouco mais de R$ 11 milhões.

 

 

Leia mais: Veja a provável escalação do São Paulo para “decisão” com o São Caetano

Pelotas x Grêmio: Confira o retrospecto histórico do duelo

As melhores notícias de esportes, direto para você