Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Opinião – Arsenal 2 x 0 Manchester United: Poder de recuperação

No Emirates Stadium, o Arsenal venceu uma partida complicada contra o Manchester United, em duelo vital pela busca por uma vaga na Champions League. Marcou um gol em cada tempo. E tirou um de seus grandes rivais do top-4. Placar de 2 a 0, porém, reflete um resultado maior do que, de fato, aconteceu, na capital inglesa.

Fábio Dias
Jornalista formado pela Universidade Nove de Julho, com especialização em Jornalismo Esportivo pela Cursos Prado.Os 140 caracteres do Twitter não estavam sendo suficientes para analisar todos os jogos que o autor acompanha durante a semana. O mundo é uma bola, nada mais justo do que este perfil retratar todas as nuances do esporte mais sensacional que já inventaram. Análises táticas, técnicas e históricas sobre os campeonatos do Brasil e do Mundo, com olhar crítico, aqui no Torcedores.

Crédito: Vitória dos Gunners em jogo complicado no Emirates Stadium. (Foto: Reprodução/Premier League)

Os Gunners mostraram poder de recuperação, uma vez que perderam para o Rennes, na Europa League. A blitz que o Arsenal impôs nos primeiros 15 minutos tinha como trunfos o fato de ser mandante e os resultados ruins de seus rivais, Tottenham e Chelsea, na rodada.

Aubameyang a fim de jogo, saindo da área e trabalhando bem para Lacazette, o homem mais avançado no 3-4-1-2 de Unai Emery.

A pressão gerou resultado num petardo de Xhaka, de média distância. Uma bomba que fez uma curva absurda. Ludibriou até o competente De Gea, enganado pelo veneno da finalização. 1 a 0.

O United já havia acertado a trave, com Lukaku, antes mesmo de ficar atrás no placar. Aparentemente, Ole Gunnar Solskjaer fez um ajuste no seu 4-4-2 inicial, flagrado pelas câmeras da transmissão oficial.

Em dado momento, o técnico gesticulou para Pogba, mostrando um número três. Bingo. Mudança para três zagueiros e um tripé de meio-campo com o francês ao lado de Matic e Fred, outro a acertar o poste em chute rasteiro da meia.

O esquema já havia sido utilizado no meio de semana contra o PSG. E os Devils criaram para empatar a partida. Muito mérito de Leno, autor de três importantes defesas que seguraram a vitória enquanto o United empurrava o rival para a defesa.

Na melhor das chances, um passe primoroso de Rashford por entre vários defensores dos Gunners. Lukaku chutou e o arqueiro alemão interveio, com decisão.

O comportamento passou a mudar a partir do meio da segunda etapa. Xhaka e Ramsey presentes na parte ofensiva, equilibrando o duelo que vinha sendo perdido no centro do campo.

Apareceu o poder decisivo da dupla de ataque. Lacazette infiltrou pela direita e sofreu o pênalti. Empurrão claro de Fred nas costas do francês. Auba rolou no meio do gol.

Placar importante dos Gunners. Poder de mandante, com nove vitórias seguidas no Emirates. Além de cinco jogos sem perder na PL. O quarto lugar, tão adorado por Arsène Wenger está de volta.