PAPO TÁTICO: E Cristiano Ronaldo fez de novo…

Se existe uma coisa que um jogador chamado de craque mais gosta é ser provocado. A história está aí para contar as vezes em que atletas foras de série responderam às provocações dentro de campo. E com Cristiano Ronaldo não foi diferente. Depois de ver os “cojones” de Diego Simeone na vitória do Atlético de Madrid sobre a Juventus por 2 a 0 no último dia 20 de fevereiro, CR7 só não fez chover nesta terça-feira (12). Não só marcou os três gols que classificaram La Vecchia Signora para as quartas de final da Liga dos Campeões como regeu toda a fanática torcida bianconera durante os noventa e poucos minutos de partida. Sim, senhoras e senhores. Cristiano Ronaldo fez de novo. Mais um hat-trick e mais uma atuação para guardar na memória.

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Reprodução / Facebook / UFFA Champions League

A atuação de CR7 foi memorável, é verdade. Mas também precisamos falar da ótima estratégia do técnico Massimiliano Allegri. Sem poder contar com Alex Sandro (suspenso) e Douglas Costa (lesionado), o comandante da Juventus deixou Bentancur e Dybala no banco de reservas e apostou num esquema que posicionava o volante Emre Can como zagueiro pela direita para organizar a saída de bola e centralizava Bernardeschi e Matuidi. O 3-1-4-2 alargava o campo com os avanços de João Cancelo e Spinazzola para o ataque e empurrava a defesa do Atlético de Madrid para a sua área com Mandzukic e Cristiano Ronaldo. Na defesa, os laterais recuavam para a linha do “trio” de zaga para formar a linha de cinco na frente de Szcesny. Tudo feito com muita intensidade nas transições e muita pressão no homem da bola.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Emre Can entrou como zagueiro, Bernardeschi se alinhou a Matuidi e Pjanic e os laterais Spinazzolla e João Cancelo abriam o campo no 3-1-4-2/5-3-2 de Massimiliano Allegri. Mais na frente, Cristiano Ronaldo e Mandzukic empurravam a defesa do Atlético de Madrid para seu campo. Foto: Reprodução / Facebook / Esporte Interativo.

Diego Simeone também tinha os seus desfalques. Diego Costa, Thomas Partey (suspensos) e Filipe Luís (lesionado) não puderam jogar e o comandante colchonero precisou improvisar Juanfran na lateral esquerda. Curiosamente, a defesa do Atlético de Madrid nunca esteve tão desorganizada como nesta terça-feira (12). Muito por conta da ótima movimentação e da estratégia de Massimiliano Allegri, mas faltou a concentração que sobrou no Wanda Metropolitano na partida de ida. Tanto que, apesar de Simeone manter seu 4-4-2 preferido na partida, Cristiano Ronaldo, Madzukic e companhia cansaram de explorar as costas dos laterais adversários. O lance do primeiro gol da Juventus é emblemático. Bernardeschi cruza do lado esquerdo e encontra CR7 às costas de Juanfran para balançar as redes pela primeira vez.

Diego Simeone armou o Atlético de Madrid no seu usual 4-4-2 com bastante compactação. Mas a Juventus soube explorar bem os lados do campo e o fato de Juanfran jogar improvisado na lateral-esquerda. Veja como CR7 explora as costas do jogador colchonero no lance do primeiro gol. Foto: Reprodução / Facebook / Esporte Interativo.

O segundo gol de Cristiano Ronaldo (marcado com o auxílio da tecnologia da linha do gol) colocou fogo na partida. Tanto que o Atlético de Madrid quase não chegou ao gol de Szcesny nos 45 minutos finais. No entanto, se Simeone fechava a sua equipe para tentar o gol salvador, Massimiliano Allegri abusou da ousadia ao sacar o excelente lateral Spinazzola para a entrada do argentino Dybala, rearrumando a Juventus num 4-4-2/4-3-3, com o camisa 10 aparecendo pela direita e fechando seu setor quando a equipe era atacada. Ainda houve tempo para o jovem Kean substituir Mandzukic e perder gol incrível à frente de Oblak. Mas não tinha jeito. A noite era de CR7 e de mais ninguém. O craque converteu pênalti de Ángel Correa em Bernardeschi e colocou a sua equipe nas quartas de final da Liga dos Campeões.

Massimiliano Allegri apostou num 4-4-2/4-3-3 com a entrada de Dybala no lugar de Spinazzola e mandou a Juventus para o ataque após o segundo gol. Cristiano Ronaldo seguia mais na sua, pelo lado esquerdo, chegando na frente ou colocando os companheiros na cara do gol. Foto: Reprodução / Facebook / Esporte Interativo.

Cristiano Ronaldo segue quebrando recordes e respondendo aos críticos com muito futebol. Este que escreve já coloca o português entre os melhores de todos os tempos e como o maior jogador da história da UEFA Champions League. CR7 é o maior goleador do torneio (124 gols em 160 partidas), marcou 63 vezes nas fases de mata-mata da Liga, atingiu as quartas de final pela nona vez consecutiva e igualou o argentino Lionel Messi ao anotar seu oitavo “hat-trick” (marcar três gols numa só partida) em Liga dos Campeões. Recordes e mais recordes de um atleta que parece não ter fim. De flecha e velocista nos tempos de Manchester United, Cristiano Ronaldo apurou o faro de artilheiro com o passar dos anos. Não passou a correr menos, mas passou a se posicionar cada vez melhor em campo. Coisa de craque mesmo.

CR7 fez de novo. Foi provocado e respondeu com mais uma atuação decisiva na Liga dos Campeões da UEFA. Acaba que o extraordinário vai se transformando em rotina com caras como ele desfilando categoria pelos gramados do mundo à fora. Se você viu Cristiano Ronaldo jogar, você é privilegiado sim!

LEIA MAIS:

Juventus x Atlético de Madrid: assista aos melhores momentos do jogo

VÍDEO: Cristiano Ronaldo provoca Simeone após três gols e classificação com a Juventus; assista

Veja como a imprensa mundial noticiou o Hat-Trick de Cristiano Ronaldo pela Juventus contra o Atlético de Madrid