Mil vezes Thaísa! Bicampeã olímpica marca milésimo ponto de bloqueio na Superliga

Quis o destino que o milésimo ponto de bloqueio da Thaísa na Superliga viesse justamente contra Osasco, clube que a central defendeu durante quase uma década, e foi campeã de tudo o que disputou. E a comemoração veio em dose dupla, o Barueri virou sobre o rival, fez 3×2 e largou na frente na série melhor três das quartas de final.

Andressa Fischer
Gaúcha, 21 anos. Vôlei | Futebol Gaúcho | Flamengo

Foto: Adauto Araujo

O jogo estava empatado em sets (1-1), mas o Barueri liderava a parcial no terceiro set com vantagem: 14-9. O momento histórico veio quando Carol Albuquerque resolveu levantar uma bola de meio para Nati Martins, só que tinha um muro dourado parado na frente da central de Osasco: com o auxílio de Amanda na marcação, Thaísa trancou a rede barueriense e devolveu a bola no pé da osasquense.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique aqui e se inscreva!

Veja o lance:

Thaísa jogou oito temporadas em Osasco, chegou em 2008, do Rio de Janeiro, e ficou até 2016, saindo de forma conturbada. No clube osasquense, ela foi campeã mundial, bicampeã da Superliga, tetracampeã sul-americana, bicampeã da Copa Brasil, campeã da Salonpas Cup, duas vice-campeã mundial, campeã do Top Volley e pentacampeã paulista.

Mas em 2016, após a equipe ser eliminada pelo arquirrival carioca na semifinal da Superliga, a diretoria do clube decidiu reformular o elenco, uma das medidas foi cortar parte do salário das veteranas; ou aceitava ficar por menos, ou saía. No entanto, a camisa 6 do time ainda tinha um ano de contrato por cumprir, e não aceitou quebrar o contrato, saindo de forma conturbada e colocando o clube na justiça trabalhista.

Volta por cima

Esse momento histórico vem pra coroar a trajetória de superação da jogadora. Em 2017, na primeira temporada defendendo o Eczabasi, da Turquia, durante o jogo contra o Fenerbahce, pela Liga dos Campeões, a central barueriense torceu o tornozelo na descida de um bloqueio.

A imagem foi muito feia, por isso não irei colocar o vídeo diretamente aqui. Mas segue o link para quem não viu o lance, ou quiser rever.

Muitas pessoas duvidaram que a jogadora voltaria as quadras como antes. Porém, Zé Roberto estendeu a mão para a bicampeã olímpica, e deixou ela se recuperar da lesão com a sua comissão, em Barueri. E 10 meses depois, pela equipe de Zé Roberto, ela voltou a jogar uma partida oficial, ainda na fase classificatória da Superliga.

LEIA MAIS

Barueri vira sobre Osasco e abre vantagem nas quartas da Superliga Feminina