Água Santa pode já estar com vaga garantida na A1 de 2020

Beneficiado pela virtual fusão entre Red Bull Brasil e Bragantino, o clube de Diadema, que está na disputa das semifinais da A2, deve subir mesmo que seja superado pelo Santo André. Com 37 pontos ganhos acumulados no geral, não pode mais ser alcançado pelo perdedor do outro confronto: XV de Piracicaba x Inter de Limeira.

Iberê Riveras
Colaborador do Torcedores

O imbróglio sobre qual clube herdará a vaga na elite paulista aberta após a parceria Red Bull/Bragantino parece que não será esticado até o início da organização da A1 de 2020. Após o São Caetano, rebaixado como penúltimo colocado da A1 deste ano, se manifestar enxergando uma brecha no regulamento da A2, a assessoria de imprensa da FPF agiu rápido e, no mesmo dia, refutou a interpretação do Azulão.

Na terça-feira (9), o clube do ABC emitiu duas notas, a segunda delas desmentindo a inicial. A primeira versão, inclusive, citava a junção Red Bull/Bragantino. Horas mais tarde, de forma mais sutil, retirou o nome dos clubes e apegou-se puramente à suposta falta de clareza do regulamento.

Regulamento

“Em caso de não participação de algum Clube classificado para o Campeonato Paulista de Futebol Profissional – Primeira Divisão – Série A1 de 2020, terá também acesso o Clube que obtiver a 3ª melhor campanha no Campeonato Paulista de Futebol Profissional – Primeira Divisão – Série A2 de 2019, dentro os que disputaram a fase semifinal.”

Trecho da nota do São Caetano

“Exposto esse eixo do regulamento da competição, centro de interpretações enviesadas, fruto de coletivização seletiva de impressões interpretativas, a Associação Desportiva São Caetano passa a prestar esclarecimentos que seriam desnecessários, tal a lógica regulamentar, mas indispensáveis diante do ambiente externo que se criou.

Em nenhum trecho do regulamento da Série A2 há qualquer tipificação relacionada ao Acesso à Série A1 que contemple as equipes como “participantes”. Prevalece sempre o verbete “classificado”, no singular ou no plural. Ou seja, quando se refere à “classificação” das duas primeiras equipes da fase final à Série A1, o regulamento é intocavelmente avesso a especulações. Da mesma forma o é quando, ao projetar a possibilidade de uma dessas equipes desistir do Acesso, a terceira colocada “das semifinais”, terá “também” Acesso à Série A1.”

Portanto, para o São Caetano, o artigo 9º, parágrafo 1º do regulamento da A2 só garantiria ao 3º colocado uma vaga na A1 se um dos dois ‘classificados’ (vindos da A2) renunciassem à vaga. Neste caso, a desistência de qualquer outro clube (dos 14 que não caíram da A1) não puxaria necessariamente o 3º da A2, o que abriria a possibilidade de o São Caetano, 15º da A1 deste ano, não cair.

Nos bastidores, fala-se ainda na possibilidade de o Red Bull ou o Bragantino ‘vender’ sua vaga para qualquer outra agremiação ou empresa, o que fatalmente causaria mais polêmica.

Oficialmente, o Água Santa não se posiciona. Prefere que o time dispute as semifinais ignorando a real possibilidade de já ter conseguido o acesso.